Loading Content...

Maeforadacaixa Instagram Photos and Videos

Loading...


maeforadacaixa Blog Mãe Fora da Caixa @maeforadacaixa mentions
Followers: 50,658
Following: 854
Total Comments: 0
Total Likes: 0

Para toda criança que tem um pai ausente eu peço em silêncio para que ganhe um pai de coração. Um cara ...
Media Removed
Para toda criança que tem um pai ausente eu peço em silêncio para que ganhe um pai de coração. Um cara bacana que ame a mulher que escolheu e tudo o que veio com ela. Um cara sensível que entenda as necessidades de uma criança. Alguém que se aproxime de mansinho, com respeito. Um cara que perceba ... Para toda criança que tem um pai ausente eu peço em silêncio para que ganhe um pai de coração.
Um cara bacana que ame a mulher que escolheu e tudo o que veio com ela. Um cara sensível que entenda as necessidades de uma criança.
Alguém que se aproxime de mansinho, com respeito. Um cara que perceba o que falta ali. Alguém que chegue para agregar. Equilibrar. Alguém que alivie a carga da mãe com a praticidade que só os homens tem.
Alguém que tenha um pouquinho de “palhaço” na alma para levar alegria. Alguém que abrace apertado quando a criança sentir medo ou quando a mulher sentir cansaço.
Peço para que essas crianças tenham um pai de coração que sinta prazer em buscar na escola, em fazer curativos em joelhos machucados, que ame fazer cosquinha, que adore uma bagunça e que faça brincadeiras divertidas.
Peço que esse cara saiba o hora e a medida de dar limite quando necessário e perceba quando a criança precisa de conversa e consolo.
Eu peço. Peço tanto. E não para que se forme uma “família ideal” dentro dos conceitos dessa sociedade encaixotada. Jamais, não é isso.
Acredito que mães solo arrasam.
Tantas e tantas crianças são criadas lindamente somente pela mãe.
O motivo do meu pedido é por imaginar o peso da responsabilidade de se criar uma criança sozinha. O motivo é saber a importância do equilíbrio e entender o quanto é fundamental para mãe: apoio e colo. O motivo é apostar em recomeços. É acreditar no amor.
Peço porque acredito que um cara de coração bom, quente e presente é com certeza capaz de preencher cada pedacinho da ausência.
Pais de coração, por vocês minha eterna admiração.
Texto: @maeforadacaixa
Autora do 📖: Mãe Fora da Caixa
—————————————————
Pais, esse Instagram também é de vocês.
Separei no highlight “pai” vários textos para vocês. Mas acredito que se puderem ler todos os que eu posto por aqui vai ajudar demais vocês entenderem suas parceiras. Equilíbrio na educação e nos cuidados dos filhos entre pais e mães é o melhor caminho.
Read more
Loading...
Faço terapia há 18 anos. Já li livros que aumentaram meus conhecimentos psíquicos, já fiz 3 sessões ...
Media Removed
Faço terapia há 18 anos. Já li livros que aumentaram meus conhecimentos psíquicos, já fiz 3 sessões de análise por semana, yoga e aula de meditação. Mas nem nas minhas melhores “performances” cresci tanto como estou crescendo com a maternidade. Alguns dias a lucidez é meu guia. Outros minha ... Faço terapia há 18 anos. Já li livros que aumentaram meus conhecimentos psíquicos, já fiz 3 sessões de análise por semana, yoga e aula de meditação. Mas nem nas minhas melhores “performances” cresci tanto como estou crescendo com a maternidade.
Alguns dias a lucidez é meu guia. Outros minha loucura chega como um caminhão desgovernado. Mas de todas as formas eu cresço.
Ser mãe é uma experiência divina e ao mesmo tempo a mais desafiadora.
É se sentir exausta mas se forçar para estar de pé. É se culpar por pouco e chorar por nada. É cuidar e desejar como nunca ser cuidada.
É descoberta, renascimento. Caminho sem volta. Um convite a uma transformação tão grande, que a gente até esquece de onde partiu, onde parou e para onde vai seguir.
É única! Particular! Do seu jeito, do jeito que você dá conta e as vezes do jeito que você não dá.
Não tem receita, por isso comparar é uma grande besteira. Se culpar e querer ser perfeita é perda de tempo. Só vai atrapalhar. Se aceitar humana é o que faz a gente relaxar.
Por isso eu digo, seu corpo pode até “voltar”, mas seu coração e sua mente nunca mais serão os mesmos.
Texto: @livia_fgg
Coautora: @maeforadacaixa
Read more
Aqui em casa moram brinquedos pelo chão e gargalhadas de criança. Tem farelo de pão espalhado e ...
Media Removed
Aqui em casa moram brinquedos pelo chão e gargalhadas de criança. Tem farelo de pão espalhado e abraço apertado. Na minha casa tem orientação e cansaço
Tem tela na janela e beijo de boa noite. Tem desenhos em folhas de sulfite pendurados nas paredes e cafuné no sofá. Aqui em casa tem correria ... Aqui em casa moram brinquedos pelo chão e gargalhadas de criança.
Tem farelo de pão espalhado e abraço apertado.
Na minha casa tem orientação e cansaço
Tem tela na janela e beijo de boa noite.
Tem desenhos em folhas de sulfite pendurados nas paredes e cafuné no sofá.
Aqui em casa tem correria dos meus filhos brincando com a cachorra e banquinho no banheiro para o pequeno poder escovar os dentes.
Tem conversa séria quando precisa e amor sem medida.
Aqui em casa tem história antes de dormir e oração de criança que enche a casa de esperança.
A minha mesa de jantar virou também mesa de ping-pong e a cozinha hora ou outra vira campo de futebol. Camas e sofás tem uma nova função: pula pula. E a bagunça acontece bem na frente da televisão enquanto eu tento assistir algum programa.
É fácil notar que o silêncio não mora mais por aqui, tampouco a ordem e o perfeccionismo. Não existe mais aquela calma para deitar no sofá e esquecer da hora assistindo o programa que me der na telha.
Se eu tenho saudade de antes? De vez em quando sim. Hora ou outra a correria me incomoda, assim como o jogo de ping-pong na minha mesa de jantar, o durex que eles usam para colar os desenhos nas paredes que acabam descascando e a bola na cozinha.
As vezes entro na brincadeira com eles, outras depois de muito agito imploro por um pouco de silêncio. Porém hoje, através dos meus filhos, minha casa tem ALMA, se tornou LAR.
Um “brinco” de casa? Pra quê? As coisas servem para serem usadas e as crianças para serem amadas!
Texto: @maeforadacaixa
Autora do 📖: Mãe Fora da Caixa
Foto: @marylauren ———————————————————
No stories tem um pouquinho do campo de futebol na minha cozinha. 😳😬😂
Read more
Música é algo que remete a nossa identidade. Tem a ver com a nossa personalidade. Tão difícil escolher ...
Media Removed
Música é algo que remete a nossa identidade. Tem a ver com a nossa personalidade. Tão difícil escolher uma, mas ao mesmo tempo é uma delicia pensar e relembrar as músicas mais marcantes pra gente. É como entrar em um túnel do tempo. A minha? “Tempo perdido” - Legião Urbana E a de vocês? Bora ... Música é algo que remete a nossa identidade. Tem a ver com a nossa personalidade.
Tão difícil escolher uma, mas ao mesmo tempo é uma delicia pensar e relembrar as músicas mais marcantes pra gente. É como entrar em um túnel do tempo.
A minha? “Tempo perdido” - Legião Urbana
E a de vocês?
Bora brincar? Só vale uma heim?
Valendo...
Read more
Não existe nenhum ano mais transformador na vida de uma criança e da uma mãe do que o primeiro. Os ...
Media Removed
Não existe nenhum ano mais transformador na vida de uma criança e da uma mãe do que o primeiro. Os primeiros 365 dias são preciosos e marcantes. É o ano do encontro, da construção do vínculo, da conexão. É lindo. É a vida começando como bebê e como mãe, porém é muito desafiador. Uma espécie de ... Não existe nenhum ano mais transformador na vida de uma criança e da uma mãe do que o primeiro.
Os primeiros 365 dias são preciosos e marcantes. É o ano do encontro, da construção do vínculo, da conexão.
É lindo. É a vida começando como bebê e como mãe, porém é muito desafiador. Uma espécie de adaptação.
Para o bebê é o primeiro contato com o mundo, é experimentar a respiração. É conhecer o rosto daquela voz que ele ouvia do lado de dentro. É pela primeira vez sentir frio, dor e aconchego. O primeiro ano é sorrir e gargalhar pela primeira vez e chorar com frequência. É descobrir as mãos e os pezinhos. É ter o cérebro em constante desenvolvimento, é crescer a cada dia que passa. O primeiro ano é conhecer os sabores dos alimentos. É o nascer dos primeiros dentinhos. É aprender a engatinhar, andar, dar gritinhos, balbuciar e falar uma palavrinha ou outra mesmo que não seja completa.
Para a mãe é a nova função pulsando no coração e ocupando cada centímetro da mente. É o parto, o puerpério a amamentação. É conviver com a madrugada, cheirar leite, chorar de alegria e de cansaço. É entender o que significa ter um ser humano totalmente depende e aprender a abraçar o corpo transformado. O primeiro ano é se acostumar a não ter tempo nem de se olhar no espelho e passar o dia com um coque no cabelo. É sentir em alguns momentos que passa em câmera lenta e em outros ter a sensação que passa em um piscar de olhos.
Mas o mais importante é que o primeiro ano é raiz, é alicerce, é base que se for construída com afeto e entrega a criança terá benefícios para o resto da vida.
O primeiro ano é tudo junto e misturado. É explosão sentimentos. É ver um mini ser colocar a nossa vida de pernas para ar, mas não conseguir mais viver sem ele.
Texto: @maeforadacaixa
Autora do 📖: Mãe Fora da Caixa
Foto: @lila.mesquita Uma amiga que está prestes a viver os primeiros 365 dias. Agora da Maria Flor.
—————————————————
Pra quem está nessa fase aproveita, depois a gente sente saudade.Para quem está completando os 365 dias feliz aniversário duplamente, afinal o primeiro aniversário de um bebê é também o primeiro aniversário de uma mãe.
Stories- highlights bebês
Read more
Ser mãe? Era minha última escolha. Nunca foi um sonho de vida. Mas depois do susto de descobrir ...
Media Removed
Ser mãe? Era minha última escolha. Nunca foi um sonho de vida. Mas depois do susto de descobrir a gravidez tudo mudou. Escolhi aceitar e abraçar a experiência mesmo sem o apoio do pai do meu filho. Minha vida virou de ponta cabeça. Meus planos? Tiveram que mudar. Meus estudos? Foram colocados ... Ser mãe?
Era minha última escolha. Nunca foi um sonho de vida.
Mas depois do susto de descobrir a gravidez tudo mudou.
Escolhi aceitar e abraçar a experiência mesmo sem o apoio do pai do meu filho.
Minha vida virou de ponta cabeça.
Meus planos? Tiveram que mudar.
Meus estudos? Foram colocados de lado (por enquanto). Meu trabalho? Vai ter que esperar um pouco.
Meu corpo mudou. Apareceram estrias, gorduras a mais. Mas ver o sorriso do meu filho quando chego perto e o olhar de "mamãe te amo" é indescritível.
Mudei. Mudei muito. Troquei baladas, bares e bebidas por ser alimento e cheirar leite o dia todo. Deixei a vaidade um pouco de lado me permitindo ficar descabelada, desarrumada, e ter olheiras como parte do rosto. Hoje em dia só assisto Moana porque é o desenho preferido do meu filho.
Tudo isso faz parte da experiência só que eu não imaginava que hoje em dia ainda existisse tanto preconceito com as mães solteiras. Vejo a cara de decepção das pessoas quando eu conto que sou mãe solo. Vejo o preconceito vindo da própria família é isso dói.
Não sei o que acontece mas eu acho que elas esquecem que mães solteiras não fizeram filho sozinhas.
Olha a incoerência. Eu que cuido dia e noite do meu filho sofro olhares preconceituosos, agora vai ver se o pai que ignora o fato de ter um filho sofre alguma coisa?
Mas mesmo com todo esse preconceito, dificuldade e luta, hoje eu tenho certeza que ser mãe foi a melhor escolha da minha vida.
Texto: @suuufelix
Coautora: @maeforadacaixa
Read more
Loading...
Quanto tempo um pai deve ter direito de licença paternidade? Muito se fala que o pai deve fazer a ...
Media Removed
Quanto tempo um pai deve ter direito de licença paternidade? Muito se fala que o pai deve fazer a sua parte, que deve dividir as funções nos cuidados do filho com a mulher, claro. Mas então por que a licença paternidade é tão diferente da licença maternidade? Aqui no Brasil os pais tem direito ... Quanto tempo um pai deve ter direito de licença paternidade?
Muito se fala que o pai deve fazer a sua parte, que deve dividir as funções nos cuidados do filho com a mulher, claro. Mas então por que a licença paternidade é tão diferente da licença maternidade?
Aqui no Brasil os pais tem direito de ficar em casa míseros 5 dias tirando algumas raras empresas (empresa cidadã) que oferecem 20 dias, enquanto a mulher fica 120 dias. Não faz sentido. Eu sei, tem a amamentação mas cadê a divisão, cadê a parte do pai no início da vida do filho?
Em países como Alemanha, Dinamarca Suécia e Noruega existe algo sensato e sensacional chamado (em alemão) Elternzeit. Traduzindo “licença parental” ou “tempo dos pais”. A licença não é nem da mãe e nem do pai. É dos dois. Incrível.
Pais e mães tem a grosso modo pouco mais de 1 ano de licença que pode ser dividida da maneira que eles escolherem. Por isso se a mãe ficar os primeiros meses em função da amamentação o pai poder ficar os meses seguintes. Além disso, no primeiro mês os pais podem escolher ficarem juntos em casa com o bebê.
Isso faz com o o vínculo da família se fortaleça, e que a mãe vá trabalhar com mais tranquilidade do que se tivesse que deixar o bebê com qualquer outra pessoa. Além disso, faz com que o pai entenda o que significa passa o dia tomando conta de um bebê.
O principal objetivo do “tempo dos pais” é que além do bebê estar sendo cuidado por pai e mãe (que é o mais importante), o governo não precisa investir em educação para bebês.
Mas a longo prazo a preocupação do governo é formar seres humanos seguros e independentes.
Sei que estamos longe desse “ideal”, mas precisamos nos espelhar no que faz sentido para que a mudança aconteça.
Afinal, não acreditamos que a criação de um filho deve ser feita por pai e mãe? Então por que com a licença seria diferente?
Texto: @maeforadacaixa
Autora do 📖: Mãe Fora da Caixa
————————————————
Mais sobre esse assunto lá no stories. Tem uma matéria sobre as empresas para trabalhar que tem as melhores licença paternidade, além de uma reportagem sobre licença parental.
Vou deixar tudo salvo no highlights “licença pai”.
Read more
Hoje em dia só ouvimos falar que é muito caro ter um filho. “Ter filhos é despesa, tenha poucos ou nem ...
Media Removed
Hoje em dia só ouvimos falar que é muito caro ter um filho. “Ter filhos é despesa, tenha poucos ou nem tenha.” Mas se eu pudesse lhes dizer algo seria: filhos não querem seu dinheiro, filhos querem seu amor. Sendo mãe de 3 e esperando o quarto, aprendi que tudo o que eles querem é tempo, atenção ... Hoje em dia só ouvimos falar que é muito caro ter um filho. “Ter filhos é despesa, tenha poucos ou nem tenha.”
Mas se eu pudesse lhes dizer algo seria: filhos não querem seu dinheiro, filhos querem seu amor.
Sendo mãe de 3 e esperando o quarto, aprendi que tudo o que eles querem é tempo, atenção e dedicação.
Filhos não se importam se estão vestindo roupas de marca, na maioria da vezes preferem nem estarem vestidos para poderem brincar livres por aí.
Eles não se importam de ter apenas arroz e feijão no prato, o que eles querem mesmo é que os pais estejam juntos com ele durante as refeições. Eles não precisam estudar na escola mais cara, só precisam ser ensinados e instigados para que encontrem suas habilidades e busquem por conhecimento além da sala de aula. Eles não precisam conhecer o mundo todo quando crianças, precisam saber que se tiverem força de vontade e foco terão oportunidade de fazer isso lá na frente. Não precisam todo mês de brinquedos novos, até porque crianças preferem galhos secos, panelas ou qualquer coisa que aguce sua imaginação. Filhos não precisam de uma mansão, precisam é se sentir seguros e protegidos.
Não precisamos dar tudo o que não tivemos. E mais, eles não devem ter tudo o que querem, e sim ter o que precisam.
E o que eles precisam?
De um ambiente com afeto e acolhimento para crescerem com saúde e estímulos necessários. Precisam de pais conscientes da sua missão. Assim serão adultos capazes de conquistar tudo aquilo que almejam.
Precisamos dar o nosso melhor como pessoa, como mãe, o resto será consequência disso.
E se me permitem o conselho, tenham filhos e os amem. Acredite, essa escolha é tão enriquecedora quem não dá para mensurar. Ter filhos definitivamente não tem preço.
Texto da leitora: @tatasanqueta
Coautora: @maeforadacaixa ———————————————-
A @tatasanqueta tem um trabalho lindo. Ela é doula e facilitadora na amamentação de mães na cidade de Rio Verde, Goiás. ❤️
Read more
Loading...
Eu tenho trabalhado muito e andava me culpando na mesma proporção. É difícil achar o equilibro. ...
Media Removed
Eu tenho trabalhado muito e andava me culpando na mesma proporção. É difícil achar o equilibro. Da agonia ver os ponteiros do relógio apostando corrida, enquanto meus filhos crescem cada vez que eu pisco e o trabalho me exige mais e mais a cada dia. Eu corro para comprar os alimentos, corro ... Eu tenho trabalhado muito e andava me culpando na mesma proporção.
É difícil achar o equilibro.
Da agonia ver os ponteiros do relógio apostando corrida, enquanto meus filhos crescem cada vez que eu pisco e o trabalho me exige mais e mais a cada dia.
Eu corro para comprar os alimentos, corro para eles fazerem as atividades físicas, corro para levar na escola, corro para ler um livro, corro para escutar um contar o que aconteceu no futebol, enquanto o outro fala da festa de amanhã. Corro para fazer as refeições, corro para não chegar atrasada para pega-los na escola, corro para orientar no banho, corro para jogar um jogo.
Corro do tempo. Corro para ter tempo. Corro para não perder tempo com eles. Mas quando vou ver acabou o dia. Chega dar vontade de parar o tempo.
E é nessas horas que eu me culpo.
Quando chega a hora de dormir começamos a ver fotos deles pequenininhos. Tantos presentes congelados ali lado a lado. Tantos momentos que o tempo não deixou passar.
E eu de mau com o relógio, começo a sorrir para ele. A culpa começa a se despedir.
Então a mágica acontece em forma de um um abraço apertado.
-Você é melhor mãe do mundo.
Naquele momento a culpa simplesmente evapora e eu percebo que tudo, absolutamente tudo tem seu tempo.
Texto: @maeforadacaixa
Autora do 📖: Mãe Fora da Caixa
Read more
Essa semana uma amiga me perguntou se quando nos tornamos mães perdemos amizades. Então me vieram ...
Media Removed
Essa semana uma amiga me perguntou se quando nos tornamos mães perdemos amizades. Então me vieram todas as lembranças do meu puerpério, das noites em claro, do baby blues, do choro no banho, das incertezas e da falta que uma amiga me fez nesse momento. Sabe aquela pessoa que você acha que ... Essa semana uma amiga me perguntou se quando nos tornamos mães perdemos amizades.
Então me vieram todas as lembranças do meu puerpério, das noites em claro, do baby blues, do choro no banho, das incertezas e da falta que uma amiga me fez nesse momento.
Sabe aquela pessoa que você acha que estará sempre contigo? Que você imagina que vai ser o maior xodó com o seu filho?
Pode ser que não aconteça da maneira que você espera. Digo isso porque comigo não aconteceu.
Tudo o que eu mais queria era que ela me me ouvisse e segurasse a minha mão naquele momento. Que me levasse para dar uma volta. Que tentasse me incluir em um programa ou outro.
Por muito tempo eu me questionei se eu tinha sido uma boa amiga. Não entendia como alguém que esteve sempre tão presente na minha vida simplesmente se afastasse na hora que eu mais precisava.
Porque mesmo tendo família e parceiro que nos apoie as vezes queremos aquele papo de amiga. Aquele abraço e palavra que só uma amiga pode oferecer.
Mas apesar dos pesares eu aprendi que respirar, entregar e deixar ir o que não quer ficar é a melhor saída.
Esse movimento me fez valorizar quem está ao meu lado quando eu sorri ou quando chorei. Faça chuva ou faça Sol. A maternidade acabou se tornando um filtro e ficou comigo quem é essência.
Por isso se acontecer com você não se culpe, afinal, ser mãe não é motivo para que os amigos se afastem. O movimento é inverso. É para despertar união, ombro amigo, mão estendida e amor dobrado. Dobrado? Claro, agora não é só você, tem o seu bebê.
E olha, eu sei que pode estar doendo se a sua amiga se afastou, mas acredite. Passa, fortalece, ensina. Só é amiga quem fica!
Texto: @re_mae_de_dois
Coautora: @maeforadacaixa
Read more
Toda mãe deveria ter o direito de ficar integralmente com seu bebê no mínimo 6 meses (amamentando ...
Media Removed
Toda mãe deveria ter o direito de ficar integralmente com seu bebê no mínimo 6 meses (amamentando ou não). Se a mãe quiser voltar a trabalhar antes desse tempo é uma escolha dela. Mas o direito não poderia lhe ser roubado e ponto. Algo que deveria ser prioridade, topo da lista, a primeira coisa ... Toda mãe deveria ter o direito de ficar integralmente com seu bebê no mínimo 6 meses (amamentando ou não). Se a mãe quiser voltar a trabalhar antes desse tempo é uma escolha dela. Mas o direito não poderia lhe ser roubado e ponto.
Algo que deveria ser prioridade, topo da lista, a primeira coisa a ser pensada já que a nossa própria natureza nos sinaliza dessa forma, não tem importância alguma para a grande maioria dos países do planeta.
O que esperar de um país que não respeita o início da vida de um cidadão?
O que esperar de um país que não se importa com o emocional da mãe e do bebê que acabou de nascer?
O que esperar de um país que não vê importância no afeto para a construção de um ser humano?
O que adianta ser exemplo de incentivo ao parto normal e golden hour se a licença maternidade é ridícula, praticamente um desincentivo a amamentação? Cadê a coerência? Não faz sentido, não fecha a conta. Talvez feche a conta deles até porque já falaram que empresas de fórmulas movimentam a economia.
Semana passada, conversando com uma tia fiquei em choque com o que ela me contou. A nora teve bebê na Eslováquia, e uma sobrinha terá o bebê ainda este ano nos EUA.
Sabe quanto tempo a nora tem de licença na Eslováquia? 6 meses remunerados e até 3 anos sendo bancada pelo governo com a certeza de voltar e ter o emprego garantido. Sabe quanto tempo a sobrinha terá de licença nos EUA? 1 mês e 15 dias.
Eu já sabia que alguns países da Europa estavam muito à frente nesse quesito. Mas eu não fazia idéia do absurdo da licença americana. Alô Tio Sam!
Aqui no Brasil, mães tem 4 meses de licença. Temos muito o que caminhar para chegar na Eslováquia mas já estamos bem à frente dos EUA. Precisamos lutar, falar, contextualizar. Mexer os pauzinhos. As mulheres que estão nas empresas tem um grande papel para que as coisas melhorem.
Vamos berrar, é nosso direito mesmo que umas queiram e outras não.
Se o início da vida de um ser humano não for respeitado então o que será?
Texto: @maeforadacaixa
Autora do 📖: Mãe Fora da Caixa
Como foi a sua licença?
Você já fez algum movimento dentro da sua empresa para que as mães tenham mais flexibilidade com os horários? Vamos falar sobre isso?
Read more
Procurando algo para fazer? Buscando empreender ou algum trabalho que tenha a ver com você? Só ...
Media Removed
Procurando algo para fazer? Buscando empreender ou algum trabalho que tenha a ver com você? Só que trabalho sem propósito não funciona, pode acreditar. “Se você não sabe quem é, qualquer trabalho “serve”.” Mas o que fazer para acertar o alvo, para encontrar o seu “oceano azul”? Já parou ... Procurando algo para fazer?
Buscando empreender ou algum trabalho que tenha a ver com você?
Só que trabalho sem propósito não funciona, pode acreditar. “Se você não sabe quem é, qualquer trabalho “serve”.”
Mas o que fazer para acertar o alvo, para encontrar o seu “oceano azul”?
Já parou para pensar no que você gosta de fazer? Já parou para pensar de que forma você pode usar suas habilidades como um trabalho rentável?
Visitar sua história é o caminho mais assertivo para você se conhecer.
Eu sei, as vezes é difícil de enxergar, mas se olharmos com cuidado cada pedacinho da nossa jornada até aqui, podemos encontrar características que nos direcionem para a nossa missão.
Sei que pode parecer abstrato. Mas faça o exercício, procure ajuda se for preciso, não desista.
Com certeza suas habilidades podem ser usadas de maneira que você se sinta útil, completa. Feliz.
Começar algo sem olhar para dentro está fadado ao fracasso. Por isso vasculhe, se pesquise, se conheça. Olhe para trás antes de definir o que fará logo adiante.
Não adianta procurar por aí porque a resposta está dentro de você.
No momento em que você se abrir para esse movimento tudo vai acontecer aos poucos e fluir naturalmente.
É fácil? Não, nem um pouco.
Leva tempo? Com certeza.
Tem que ter paciência? Muita.
Mas vale muito a pena, ah como vale!
Todas temos uma missão, todo mundo tem habilidades.
Que tal encontrar a sua?
Texto: @maeforadacaixa
Autora do 📖: Mãe Fora Da Caixa
———————————————
E para quem está querendo escutar sobre esse assunto amanhã às 21:00 farei uma live com a especialista no assunto @danijunco do @b2mamy. Ela é fera! Não percam.
Read more
Loading...
Hoje pensei em vocês. Como será que vocês serão? Nesse momento tenho eles debaixo das minhas asas. ...
Media Removed
Hoje pensei em vocês. Como será que vocês serão? Nesse momento tenho eles debaixo das minhas asas. Os olhos ainda de meninos estão voltados pra mim. Por isso aproveito o tempo que tenho para dar muito amor, carinho e orientação. Crio os dois para que eles sejam caras livres, sensíveis, verdadeiros ... Hoje pensei em vocês.
Como será que vocês serão?
Nesse momento tenho eles debaixo das minhas asas. Os olhos ainda de meninos estão voltados pra mim. Por isso aproveito o tempo que tenho para dar muito amor, carinho e orientação. Crio os dois para que eles sejam caras livres, sensíveis, verdadeiros e independentes.
De vez em quando eles me ajudam a fazer refeições e a cuidar cachorrinha. Tiram os pratos da mesa e tem que manter os quartos em ordem. É dureza falar mil vezes, mas penso lá na frente, em quem eles serão, penso na relação de vocês. Hora ou outra mostro bebês para eles e incentivo a fazerem um carinho.
Já falei que mulheres gostam de flores. Quando menores costumavam dar para as professoras.
Digo que assim como os homens, as mulheres devem ser tratadas com muito carinho e respeito. Quando eles as convidarem para sair pela primeira vez vou orienta-los a serem gentis. Sejam gentis com eles também.
E sabe por que eu faço tudo isso? Já estive no lugar que vocês estão. Sei o que vocês sentem e o que esperam.
Não acredito que sogra de mulher tenha que ter um significado ruim como dizem por aí. Assim como noras não tem que ter, de maneira alguma, significado ruim para as sogras. Acredito que algumas mulheres não entendem o seu papel, confundem tudo. Competem amor. Não conseguem acolher a outra como família. E aí vira um caos, tudo desanda.
Vocês podem estar pensando, mas será que ela não vai sentir falta deles?
Claro que vou. Mas acredito que tenho clareza do meu papel de mãe. Quero que eles sejam felizes, quero que eles façam vocês felizes.
Por isso quero que saibam que meu coração estará sempre aberto e cheio de amor para recebê-las como filhas.
Seremos mulheres que vão amar de formas diferentes o mesmo homem. Eu como mãe e vocês como esposas. E isso é lindo. É saudável. É natural. É a roda da vida que gira somando amor e relacionamentos.
Acolhendo, a gente agrega, une. Floresce a nossa família.
Não vejo a hora de poder conhecer vocês!
Se cuidem, até um dia.
Ps: Posso só fazer um pedido?
Incentive-os a serem sempre amigos.
Reparem não, coisa de mãe, um dia vocês vão entender.
Texto: @maeforadacaixa
Autora do 📖: Mãe Fora da Caixa
Read more
Arrisco dizer que o medo de ser mãe afeta grande parte das mulheres. Mesmo as que sonham desde criança ...
Media Removed
Arrisco dizer que o medo de ser mãe afeta grande parte das mulheres. Mesmo as que sonham desde criança com esse momento, no fundo, sentem frio na barriga de pensar sobre o assunto. E não é pra menos, ser mãe é uma das funções mais altruístas que existem. Mãe bate o cartão todos os dias. Não tem ... Arrisco dizer que o medo de ser mãe afeta grande parte das mulheres. Mesmo as que sonham desde criança com esse momento, no fundo, sentem frio na barriga de pensar sobre o assunto.
E não é pra menos, ser mãe é uma das funções mais altruístas que existem.
Mãe bate o cartão todos os dias. Não tem dia de folga, opção de demissão, e nem hora de almoço definida.
O medo aparece porque não sabemos exatamente como será, o que mudará ou como seremos quando tivermos um filho nos braços. Não sabemos como será o bebê, afinal, é um ser com vontades e personalidade, e pode ser que não seja nem de longe o que a gente idealiza.
Temos medo de não saber equilibrar tudo. Filho, casa, parceiro, trabalho, amor próprio.
Ai acontece.
Os dias e as noites são tomados por choro de bebê, fraldas sujas, lenços umedecidos, nosso choro misturado com as dores no seio, o puerpério e o amor que vai crescendo de uma forma tão avassaladora que parece que não vai caber dentro do peito.
Então os meses vão passando e enfim percebemos que é inviável dar conta de tudo. Não dá para equilibrar tantos pratos. E tudo bem. Percebemos que é essencial aceitar ajuda e dividir a carga com o parceiro.
A gente percebe que por mais que o medo ainda apareça, hora ou outra, sempre será infinitamente menor do que a força que nasce dentro da gente junto com a maternidade.
A gente enfim sente na pele o poder de ser mãe.
Texto da leitora: @aturmadopeito
Coautora: @maeforadacaixa
Read more
Tem pessoas que passam pela nossa vida e se tornam peças do nosso quebra cabeça. Parte da nossa construção. Pensar ...
Media Removed
Tem pessoas que passam pela nossa vida e se tornam peças do nosso quebra cabeça. Parte da nossa construção. Pensar na possibilidade de não ter convivido com elas é como se faltasse uma parte da gente. E não importa que fase da nossa vida elas tenham feito parte. Se for peça fica. Ontem me despedi ... Tem pessoas que passam pela nossa vida e se tornam peças do nosso quebra cabeça. Parte da nossa construção.
Pensar na possibilidade de não ter convivido com elas é como se faltasse uma parte da gente. E não importa que fase da nossa vida elas tenham feito parte. Se for peça fica.
Ontem me despedi de alguém “peça” pra mim.
Uma “tia” que foi uma das primeiras pessoas a me carregar no colo.
Ela e a minha mãe moravam porta com porta. Uma ajudava a outra. Ela cuidou muito de mim, assim como minha mãe cuidou do filho dela. Rede de apoio lembra?
Essa relação de união das duas foi tão forte que o amor e carinho que eu sinto pela minha tia chega a ser filial.
Eu fico aqui só imaginando o tamanho da peça que ela representa para os filhos. Coração aperta.
Um dia desses trocando mensagens com a filha dela eu recebi:
“Quero ela para sempre aqui, mas não dá.”
Fiquei sem saber o que escrever. Mas como se alguém soprasse no meu ouvido respondi:
“Mas ela sempre estará.
Ela está aí no seu DNA. Na forma que você cuida dos seus filhos e na maneira que você trata as pessoas. Ela está no valor que você coloca nas suas amizades e no prazer de tomar um bom vinho. Ela está nas suas gargalhadas e no seu sorriso. Ela está no seu gênio e na sua primeira referência de mulher. Ela está na cor dos seus olhos e no seu nome. Ela está no seu jeito de dançar e na sua estatura.
Ela sempre estará nas melhores histórias dos almoços de domingo e nas memórias mais marcantes. Ela está na sua força, nas suas raízes e nas suas asas.
Ela está bem aí, dentro de você.”
Ser mãe é também sobre viver para sempre dentro de um outro alguém.
Voa tia, e leva para onde for esse seu sorriso Sol.
Te amo!
Um bjo,
Thaisoca
Ps: Sei que vc vai amar a foto.
Texto: @maeforadacaixa
Autora do 📖: Mãe Fora da Caixa
Read more
Loading...
Olha que novidade boa, agora tenho uma página na @amazonbrasil com o intuito de facilitar a vida ...
Media Removed
Olha que novidade boa, agora tenho uma página na @amazonbrasil com o intuito de facilitar a vida de nós, mães. Tem gente que acha que a @amazonbrasil só vende livro. E não, de forma alguma. Lá, além de livros, você encontra itens para casa, cozinha, eletrônicos, papelaria e até moda e esportes. Por ... Olha que novidade boa, agora tenho uma página na @amazonbrasil com o intuito de facilitar a vida de nós, mães.
Tem gente que acha que a @amazonbrasil só vende livro. E não, de forma alguma. Lá, além de livros, você encontra itens para casa, cozinha, eletrônicos, papelaria e até moda e esportes.
Por isso quando eles me convidaram para fazer essa ação achei que tinha tudo a ver com a gente, exatamente por essa facilidade de comprar e receber em casa, e ganhar de brinde algo precioso que nós mães não temos de sobra, tempo.
Fiz uma seleção de livros infantis baseada nos que eu já li e leio para os meninos. Além de várias outras coisas que eu uso por aqui.
Espero que gostem e que incorporem essa facilidade na vida de vocês.
Ah, na Amazon vende o meu livro também.
Quer conhecer minha página por lá?
Link clicavel em azul no meu perfil
www.amazon.com.br/maeforadacaixa
#publicidade #amazonbrasil
Read more
A idealização da mãe, a “santificação” de alguém que é humano é uma tremenda insensatez. Loucura. ...
Media Removed
A idealização da mãe, a “santificação” de alguém que é humano é uma tremenda insensatez. Loucura. É se esforçar e nunca chegar. Se desdobrar em mil e nunca ser o suficiente. Literalmente nadar, nadar e morrer na praia. Escancarar a porta da frente para a culpa e chamá-la para um cafezinho ... A idealização da mãe, a “santificação” de alguém que é humano é uma tremenda insensatez. Loucura.
É se esforçar e nunca chegar. Se desdobrar em mil e nunca ser o suficiente. Literalmente nadar, nadar e morrer na praia. Escancarar a porta da frente para a culpa e chamá-la para um cafezinho bem no meio da sua sala, no aconchego do seu lar.
Machuca, nos deixa incrivelmente sozinhas e isoladas por não querer transparecer a verdade que chega a ferir por conta de tanta romantização. E quando damos conta já nos tornamos prisioneiras.
Eu fui uma. Sofri não só na pele, mas principalmente na alma e no coração com isso. Sei o que é se sentir falhando e péssima mãe por não corresponder as expectativas do “padrão ideal”, de como diziam que eu iria me sentir.
Você vai ser mãe? Felicidade, vida plena, felizes para sempre. Estrelinhas piscam, coraçõezinhos pulsam, arco-íris e unicórnios em neon. Não é assim que o sociedade nos vende? Mas o que a gente encontra? Felicidade? Sim claro, é M.A.R.A.V.I.L.H.O.S.O ser mãe. Mas no pacote também vem puerpério, baby blues, cansaço, lágrimas, muita insegurança, falta de tempo, excesso de doação, noites em claro, o corpo que a gente não reconhece, o casamento apresentado de um lugar até então desconhecido e para completar um mar de desafios novinhos em folha nos dando as boas vindas.
Isso tudo e perfeição? Simplesmente incompatível!
Se libertar dessa “santificação” é possível. Falar o que grita dentro da gente acalma, cicatriza qualquer tipo ferida, nos une.
Se sentir livre para falar também dos desafios e das dores é o único caminho para sermos leves e honestas com os nossos sentimentos.
É o que nos faz lembrar que somos humanas. De carne e osso.
Texto: @maeforadacaixa
Autora do 📖: Mãe Fora da Caixa
Foto: @torrespatricia
Esse foi o grande motivo para eu começar a escrever sobre maternidade. Tem muito sobre esse assunto no meu livro. 📚
Read more
Hoje eu escrevo para você, meu parceiro de vida. Falo tanto em gratidão mas as vezes esqueço de agradecer ...
Media Removed
Hoje eu escrevo para você, meu parceiro de vida. Falo tanto em gratidão mas as vezes esqueço de agradecer quem eu mais preciso. Quem está do meu lado o tempo todo, para o que der e vier. Obrigada por me amar, me aceitar e me respeitar exatamente do jeito que eu sou. Sei que não deve ser fácil ser ... Hoje eu escrevo para você, meu parceiro de vida. Falo tanto em gratidão mas as vezes esqueço de agradecer quem eu mais preciso. Quem está do meu lado o tempo todo, para o que der e vier.
Obrigada por me amar, me aceitar e me respeitar exatamente do jeito que eu sou. Sei que não deve ser fácil ser pai e ao mesmo tempo dividir com os meninos minha atenção que foi por tanto tempo só sua. Mas posso falar, também sinto assim. Eu sei, é chato querer contar algo novo e nem sempre ser ouvido. Planejar aquela noite especial, chegar no quarto e me pegar dormindo.
Eu te entendo e muitas vezes não me agrado no que observo de mim mesma, por isso tento me dedicar a melhorar uma coisa aqui a outra ali. Enquanto te observo fazendo o mesmo por mim.
Com você aprendi e aprendo muito.
Um cara de coração grande, sempre disposto a ajudar. Que me estende a mão e me motiva a voar.
Com você a vida se tornou mais leve, mesmo quando temos os nossos momentos de estresse.
Foi você que sonhou junto comigo a chegada do nosso primeiro filho.
Com você posso contar de olhos fechados. Você que me abre os olhos diariamente, me mostra outras vertentes e me faz crer que amanhã pode ser diferente.
Como não te amar?
Muito orgulho de ver o pai que você se tornou. Tenho certeza que em um futuro não muito distante teremos milhares de histórias para recordar.
Então antes que isso aconteça posso te fazer um pedido?
Fica para sempre comigo?
Texto da leitora: @candycordeiro
Coautora: @maeforadacaixa
——————————————————————
Que tal homenagear o marido que tem sido seu parceiro e um super pai?
Read more
Loading...
Bebês high need, refluxo gastroesofágico, picos de crescimento, saltos de desenvolvimento, ...
Media Removed
Bebês high need, refluxo gastroesofágico, picos de crescimento, saltos de desenvolvimento, ansiedade da separação, APLV. Já escutou falar? Todos esse nomes estão relacionados a bebês e a choro, muito choro. Se ainda não te contaram bebês choram. E não adianta você fazer yoga e nem tomar ... Bebês high need, refluxo gastroesofágico, picos de crescimento, saltos de desenvolvimento, ansiedade da separação, APLV. Já escutou falar?
Todos esse nomes estão relacionados a bebês e a choro, muito choro.
Se ainda não te contaram bebês choram. E não adianta você fazer yoga e nem tomar florais na gravidez. Bebês choram. Não adianta mentalizar todos os dias que o bebê será “calminho”. Esquece isso. Foca no que acontece, de verdade.
Chorar quando se é bebê é da natureza do ser humano. Faz parte da nossa comunicação. Claro, uns choram mais outros menos, mas todos choram. Por isso entre na maternidade com essa certeza. Se chorar pouco maravilha, se chorar muito ok, você já estava esperando por isso.
Dos nomes difíceis, fora o refluxo que precisa de diagnóstico e muitas vezes de tratamento com medicação, e o APLV que também precisa de diagnóstico, todos os outros só precisam de algumas coisas para que a relação mãe e bebê flua.
Aceitar que bebês choram e que precisam de muita atenção e muito colo.
Saber que a mesma proporção de choro do seu filho, você terá que ter de paciência. Sim, respirar no saquinho, largar pela metade o que está fazendo sem tanto sofrimento.
Foco na empatia por esse ser que acabou de nascer e que só consegue se comunicar dessa maneira. Afinal não deve ser nada fácil ser um bebê não é mesmo?
Além disso, é lei: não compare seu bebê com nenhum outro do planeta.
Ainda lembro da minha ansiedade e desespero de ver meus filhos se esgoelando de tanto chorar quando bebês, e o que isso me angustiava. Talvez porque ninguém tenha me contado sobre choro de uma maneira real. Talvez porque o choro é sempre visto como algo “negativo”. Que tem que ser “calado”. Veja bem, sei que não é fácil escutar aquele som de decibéis elevados. Sei que estressa. Mas ele existe e faz parte dessa fase. Aceitar isso acalma. Faz tudo ser mais leve.
Se você pensa em ter filho acredite, ser mãe também é sobre ouvir muito choro. E é exatamente nessa hora, que ele mais precisará de você.
Bebês choram e mães e pais tem o papel de oferecer o colo como o melhor e mais confortável abrigo.
Texto: @maeforadacaixa
Autora do 📖: Mãe Fora da Caixa
No stories salvo em: choro bebê
Read more
Foram dias de sol. Daqueles que os raios entram pela janela do quarto, anunciando que o dia amanheceu. ...
Media Removed
Foram dias de sol. Daqueles que os raios entram pela janela do quarto, anunciando que o dia amanheceu. Eu estava a sua espera. Meu primeiro positivo! Meu primeiro milagre da vida! Os sentimentos viviam em seu mais intenso paradoxo. Ansiosa pela barriga que crescia, e com medo do meu ... Foram dias de sol. Daqueles que os raios entram pela janela do quarto, anunciando que o dia amanheceu.
Eu estava a sua espera.
Meu primeiro positivo!
Meu primeiro milagre da vida!
Os sentimentos viviam em seu mais intenso paradoxo.
Ansiosa pela barriga que crescia, e com medo do meu corpo nunca mais ser o mesmo.
Curiosa pra saber o sexo, e me sentindo culpada por não estar preparada.
Feliz pelo milagre de ser mãe, e triste pela falta de apoio.
Nervosa, chorosa e com muito, mais muito sono!
Mas de uma coisa eu estava certa, aqueles eram dias de sol.
É tão difícil me lembrar de você. As vezes tenho a sensação de te encontrar em meus sonhos, enxugando minhas lágrimas e acalmando meu coração.
Se eu fechar bem os olhos e me concentrar, ainda lembro o cheiro do consultório, e a voz do médico que me deu a notícia do seu óbito, muito antes de você nascer.
Culpei a Deus por aquela situação.
Culpei a falta de apoio.
Culpei o mundo.
Até que enfim, culpei a mim.
Foram 120 dias de tempestade. Daquelas que você se fecha dentro de si, e não quem nem saber do mundo lá fora.
Senti uma dor de parto, sabendo que depois não haveria o conforto de te ter em meus braços.
O berço estava vazio, assim como meu coração.
Um dia você era sonho e esperança, no outro você era saudade e lembranças.
Chorei muito, e no auge do surto, jurei a mim mesma que nunca mais seria mãe!
Foram 120 dias de tempestade. Que aos poucos foi passando, abrindo caminho para que o sol de mansinho começasse a aparecer surgindo com ele, o mais belo arco íris.
Tirou a culpa.
Enxugou as lágrimas.
Me fez entender que a tempestade pode ser longa, mas que aos poucos, a vida começa a se encaixar em seu desarranjo.
Mas quero que você saiba: por mais que eu tenha outros filhos, sempre serei a sua mãe, sempre lembrarei de você com amor, meu anjo.
Texto da leitora: @jornada.materna
Postado por: @maeforadacaixa
Read more
Hoje, quando eu levava os meninos para a escola, o Matheus contou que estava indignado com a história ...
Media Removed
Hoje, quando eu levava os meninos para a escola, o Matheus contou que estava indignado com a história que escutou sobre uma mulher que atropelou um cachorro e fugiu deixando o bichinho se retorcendo na rua. O Thomás ficou em choque com a história. Eu percebi olhando pelo retrovisor que ele ... Hoje, quando eu levava os meninos para a escola, o Matheus contou que estava indignado com a história que escutou sobre uma mulher que atropelou um cachorro e fugiu deixando o bichinho se retorcendo na rua.
O Thomás ficou em choque com a história. Eu percebi olhando pelo retrovisor que ele estava perplexo. Olhinhos arregalados e boquinha aberta. Como não se chocar?
Olhei para o Matheus com aquele olhar de: “Por favor, não fale sobre isso perto do seu irmão, ele é pequeno.”
Mas a verdade é que todos somos pequenos quando escutamos histórias como essa.
Enquanto pensava sobre isso o Thomás disse:
-Mamãe lembra aquele dia no banho que eu pedi para você não jogar o papelzinho ( leia-se lacre) do shampoo no lixo?
-Sim filho, eu lembro.
-Eu não queria que você jogasse porque na minha imaginação ele é vivo e vai sofrer. Então por que a mulher atropelou o cachorro e não cuidou dele se ela nem precisa usar a imaginação para saber que ele é vivo?
E a única resposta que veio foi:
-Faltou amor para ela filho.
Antes deles descerem do carro, eu disse como de costume que eu os amo muito.
O Thomás me olhou nos olhos, segurou na minha mão e falou: -Mamãe obrigada por nunca deixar faltar amor.
Ps: Adivinha como eu voltei para casa? Emocionada, com o coração quente e agradecido por ser mãe. Por saber pela boca dele que eu sou amor.
Texto: @maeforadacaixa - Thaís Vilarinho
Autora do 📖: Mãe Fora da Caixa
Read more
“Amo seus textos diz exatamente o que vivemos no dia a dia ...gostaria de dar uma ideia para apoiar ...
Media Removed
“Amo seus textos diz exatamente o que vivemos no dia a dia ...gostaria de dar uma ideia para apoiar essas mães que assim como eu estão sozinhas a maior parte do tempo .Poderia criar um grupo de apoio às mães que muitas vezes não tem com quem falar. Meu esposo saí cedo para trabalhar é só chega às ... “Amo seus textos diz exatamente o que vivemos no dia a dia ...gostaria de dar uma ideia para apoiar essas mães que assim como eu estão sozinhas a maior parte do tempo .Poderia criar um grupo de apoio às mães que muitas vezes não tem com quem falar. Meu esposo saí cedo para trabalhar é só chega às 22:HS. Quando ele chega por mais que eu queira falar não consigo devido o horário. Graças a Deus que você nos fortalece como mãe ...fica a dica ..bjs”
@marcia_oliveira_lourenco ——————————————-
Em função dessa mensagem de uma leitora decidi fazer esse post.
Acredito que troca entre mães fortalece. Só uma mãe para entender a outra. Por isso sugiro que quem mora na mesma cidade se encontre por aqui com o objetivo de criarem grupos para trocar experiências, se conhecerem e fazerem novas amizades.
Sugiro que quem tenha interesse escreva o nome da cidade e espere para ver se alguém também tem interesse. Grupos de WhatsApp de mães tem acolhido muito através de troca de experiência. Se você já tem um grupo coloca aqui para que mais mães participem.
Espero que esse post seja o início de grandes amizades e muita troca entre mães.
Um bjo Thaís 🌸
Read more
Eu sei, você me disse. Parece o fim do mundo. Uma verdadeira bomba atômica no meio do seu coração. ...
Media Removed
Eu sei, você me disse. Parece o fim do mundo. Uma verdadeira bomba atômica no meio do seu coração. Por isso, nesse momento, eu só queria estar aí do seu lado. Independente se você vai voltar ao trabalho porque precisa ou porque quer. Eu só queria poder segurar na sua mão a hora que você for sair ... Eu sei, você me disse. Parece o fim do mundo. Uma verdadeira bomba atômica no meio do seu coração. Por isso, nesse momento, eu só queria estar aí do seu lado. Independente se você vai voltar ao trabalho porque precisa ou porque quer. Eu só queria poder segurar na sua mão a hora que você for sair de casa para trabalhar pela primeira vez depois de ser mãe. Queria te acompanhar no trajeto de casa até o trabalho para te dizer algumas coisas.
Seu filho nunca vai te esquecer por vocês terem que conviver menos. Ele nunca vai esquecer dos momentos que vocês passaram juntos.
Eu sei que ele é muito pequeno, mas pode apostar, todo o seu cuidado e doação estão impressos e misturados no que ele já é. E isso é para sempre.
Tenho certeza que você se organizou para deixá-lo com o melhor cuidado que você pode oferecer. Seja com o pai, os avós, na creche, em casa com uma funcionária ou com uma amiga.
Não deixe que bocas que falam palavras recheadas de julgamento interfiram na sua escolha, na sua necessidade. Filtre. Não se deixe pesar.
Trabalhar nunca, jamais te tornará “menos” mãe. Trabalhar nunca jamais irá enfraquecer o vínculo que você tem com o seu filho.
É só olhar em volta. Você deve conhecer muitas mães que trabalham e que tem um relacionamento incrível com os filhos não? Por que você não pode ser como elas?
O grande segredo que ninguém conta é que trabalhar ou não, não importa. O que importa é conexão. Existem mães que estão do lado do filho o tempo todo e que não estão conectadas.
Filho sente a conexão mesmo que a mãe esteja a milhas de distância. Mágica? Não. Coisa de Deus. Que faz com que o cordão não se rompa no momento do parto. Cordão invisível que continua alimentando o filho, mas agora só emocionalmente. Cordão que passa segurança, amor e calor. Por isso, confia.
Vai e não esqueça, o fim do expediente logo chega. Ele sempre estará te esperando para ganhar seus beijos e poder sentir seu cheiro. Quando essa hora chegar você entenderá que não é o fim do mundo. Está tudo no lugar.
Agora, com o coração mais tranquilo e com um abraço apertado eu te desejo, um bom retorno ao trabalho.
Texto: @maeforadacaixa
Autora do 📖: Mãe Fora da Caixa
Read more
A maternidade é algo maluco! É remar. É recomeçar. É não entender. É se contradizer todo minuto. A ...
Media Removed
A maternidade é algo maluco! É remar. É recomeçar. É não entender. É se contradizer todo minuto. A gente se sente completa e realizada, mas ao mesmo tempo se sente sozinha. Pode até parecer estranho, mas é a pura verdade. Se doar integralmente é prazeroso mas ao mesmo tempo exaustivo. Sinto ... A maternidade é algo maluco!
É remar. É recomeçar. É não entender. É se contradizer todo minuto.
A gente se sente completa e realizada, mas ao mesmo tempo se sente sozinha.
Pode até parecer estranho, mas é a pura verdade. Se doar integralmente é prazeroso mas ao mesmo tempo exaustivo.
Sinto falta de dormir a noite toda, de tomar banhos demorados, de sair pra encontrar amigas e de tomar um chopp sem hora pra voltar. Na verdade, sem hora para dar de mamar.
Tudo vira de ponta cabeça. Uma nova vida se inicia sem o eu. Com o nós. Mas o nós não pode se resumir somente a mãe e o bebê.
As pessoas não sabem, mas mães precisam de carinho, aconchego, colo. Todos esquecem que quem cuida de um bebê precisa ser cuidada também.
Pais precisam arregaçar as mangas e pegar sua parte pra si. Mães precisam deixar os pais entrarem e fazerem do jeito deles. Abrir espaço e não tomar para si toda a responsabilidade. Aliviar a carga.
Familiares e amigos não só podem como devem oferecer a ajuda.
Cuidar e educar uma criança sempre foi um trabalho de muitas mãos. Por que hoje seria diferente?
Por isso, se você convive com uma mãe e seu bebê, olhe para ela. Pode até ser que ela não diga, mas com certeza está precisando de alguma coisa.
Mas o que eu faço?
Tome a frente. Lave a louça, passe na padaria. Faça uma refeição quentinha ou fique com o bebê para ela tomar um banho.
Tenho certeza que ela nunca vai esquecer.
Texto da leitora: @tamilisfamcosta
Coautora: @maeforadacaixa
Read more
Me roubaram uma história que eu tinha o direto de ter vivido. Sentido na pele. No coração. E guardado ...
Media Removed
Me roubaram uma história que eu tinha o direto de ter vivido. Sentido na pele. No coração. E guardado para sempre na memória. Não é remoer o que já passou. Sou de andar para frente, mas algumas vezes acredito que o movimento inverso ajuda a transformar nossas experiências ruins em experiências ... Me roubaram uma história que eu tinha o direto de ter vivido. Sentido na pele. No coração. E guardado para sempre na memória.
Não é remoer o que já passou. Sou de andar para frente, mas algumas vezes acredito que o movimento inverso ajuda a transformar nossas experiências ruins em experiências boas para outras pessoas.
Penso nas grávidas e nas histórias que posso incentivar a serem vividas.
Ei você, quer ter parto normal?
Eu queria muito mas 11 e 8 anos atrás não tive. Falta de informação? Sim. Falta de empoderamento? Pode ser. Eu era orientada a escutar o meu médico e não ficar procurando nada na internet. Eu confiei e segui, e você pode estar exatamente na mesma situação. Veja bem, não culpo o meu médico. Mas sim o sistema cesarista e a falta de humanidade de algumas maternidades. Fiz uma cesárea sem ao menos induzirem o meu parto. Bebê com batimentos normais. O médico disse que ele poderia estar sofrendo. Contrações de 5 em 5 minutos, sem dilatação. Eu fiz o que? Autorizei a cesárea. Fui muito bem tratada no hospital. Mesmo assim, uma das histórias que eu mais gostaria de ter vivido não teve nem chance de acontecer.
Ei você, que quer ter parto normal ou cesárea já escutou falar em Golden Hour? Não?
Logo depois da minha cesárea levaram o meu bebê. Senti raiva. Lembro da sensação de buraco e solidão na sala de parto. Não era possível ser assim.
Anos depois li sobre a golden hour. Meu instinto estava certo. Óbvio que eu deveria estar grudada neles após o parto.
Nos roubaram a mamada imediatamente após o nascimento (tem centenas de benefícios), nos roubaram o olho no olho (na primeira hora de vida o bebê, consegue enxergar o rosto da mãe), nos roubaram a espera necessária para o clapeamento do cordão umbilical (só pode ser cortado quando a circulação cessar e não imediatamente após o nascimento), nos roubaram o contato pele a pele, o reconhecimento, o vínculo.
Eu te peço, se informe, vá atrás dos caminhos que te levem para o parto que você deseja. Não deixe te roubarem a primeira hora de vida do seu filho. Afinal, vale ouro.
Texto: @maeforadacaixa
Foto da leitora: @flaviaagalliani
Você já tinha lido esse texto? Lá no stories eu conto o que aconteceu.
Read more
Hoje eu acordei cansada e com saudades de mim. Hoje, eu queria sumir por alguns instantes. Hoje eu ...
Media Removed
Hoje eu acordei cansada e com saudades de mim. Hoje, eu queria sumir por alguns instantes. Hoje eu olhei pela janela e me perguntei: O que será que se passa lá fora? Hoje eu me senti só, mas de uma solidão diferente. Hoje o puerpério, que de vez em quando ainda me visita, chegou avassalador. Ele ... Hoje eu acordei cansada e com saudades de mim. Hoje, eu queria sumir por alguns instantes. Hoje eu olhei pela janela e me perguntei: O que será que se passa lá fora? Hoje eu me senti só, mas de uma solidão diferente. Hoje o puerpério, que de vez em quando ainda me visita, chegou avassalador. Ele me fez questionar onde estão os chamados amigos, onde está a rede de apoio. Onde está um abraço, ou apenas um braço a mais para que eu possa comer sem ser interrompida, para que eu possa tomar banho sozinha na hora que tiver vontade, para que eu possa ligar meu computador e tocar meus projetos, para que eu possa ser um pouco, só um pouquinho, aquele eu que tenho saudades. Ele fez eu me olhar no espelho sem saber quem eu era: pijamas, olheiras, peitos pra fora. Ele fez eu me sentir culpada de mil maneiras diferentes.
Lá fora venta e o dia está cinza. Aqui dentro, hoje, já é tempestade.
Penso nas mães solos. Penso na minha mãe. Penso em todas as mães que atravessam essas tempestades. Umas mais duradouras que as outras. Algumas recebem guarda chuvas no meio delas. Outras estão sozinhas, se encharcando, com lágrimas que se misturam a chuva. Hoje, choro por mim e por todas elas. Pela solidão que nos perfura. Pelos palpites que nos machucam. Pela culpa que nos dilacera. Pelo medo que nos assombra. Pelas dores (físicas e mentais) que nos acompanham. Pela sociedade que nos invisibilisa e nos oprime.
Eu amo meu filho. Mas nem sempre eu amo ser mãe. Não na nossa sociedade.
Toda tempestade passa. Mas hoje deixo-me molhar.
Texto da leitora: @odaracris
Postado por: @maeforadacaixa
Read more
Pai que é pai sempre dá espaço pra gente na cama. Sempre encontra tempo mesmo em um dia atribulado. ...
Media Removed
Pai que é pai sempre dá espaço pra gente na cama. Sempre encontra tempo mesmo em um dia atribulado. Pai que é pai protege a gente dos monstros e sempre deixa uma luzinha acesa. Pai que é Pai é guarda-chuva, parede de escalada, guarda de trânsito com roupa laranja fluorescente, que orienta ... Pai que é pai sempre dá espaço pra gente na cama. Sempre encontra tempo mesmo em um dia atribulado.
Pai que é pai protege a gente dos monstros e sempre deixa uma luzinha acesa.
Pai que é Pai é guarda-chuva, parede de escalada, guarda de trânsito com roupa laranja fluorescente, que orienta com lanterna o nosso caminho.
Pai que é pai é aviãozinho e força de super herói que joga a gente lá no alto.
Pai que é pai é esconderijo, é a nossa roupa que não combina, e a nossa gargalhada tão boa que dá até vontade de fazer xixi.
Pai que é pai é banho com conversa e risada. É campeonato de pum embaixo das cobertas e bagunça na certa.
Pai que é pai é limite, norte, voz grossa, abraço apertado e ombro amigo.
Pai que é pai é algumas vezes lágrimas e tristeza que precisam dos nossos abraços e beijinhos. Pai que é pai é dizer que está muito doente só porque está gripado e ficar pedindo cafuné para a gente.
Pai que é pai é hora ou outra uma viagem que deixa a gente com saudade. É fralda trocada, dente escovado e comida quentinha.
Pai que é pai é coração derretido mas ao mesmo tempo o não quando precisa ser dito.
Pai que é pai é a história mais irada e o soninho compartilhado no cantinho mais gostoso do sofá.
Pai que é pai pode ser biológico, adotivo ou “paidrasto”. Pai que é pai sabe da importância de passar bons exemplos e do tamanho da responsabilidade que essas três letras juntinhas carregam.
Pai que é pai da de presente para a gente, todos os dias, presença, tempo, dedicação e exemplo.
Pai que é pai sempre será amor.
Texto: @maeforadacaixa
Autora do 📖: Mãe Fora da Caixa ———————————————
Homenageie um pai que é pai nesse dia dos pais.❤️
Read more
Você fala sobre Deus com os seu filho? Digo Deus, não religião. O Deus que você acredita, seja qual ...
Media Removed
Você fala sobre Deus com os seu filho? Digo Deus, não religião. O Deus que você acredita, seja qual for a denominação. Ou se não acredita, você fala no que você acredita ser superior a você? Nossas crianças precisam saber que nós pais somos frágeis! Que as coisas ruins nos atingem e que faz parte ... Você fala sobre Deus com os seu filho? Digo Deus, não religião. O Deus que você acredita, seja qual for a denominação. Ou se não acredita, você fala no que você acredita ser superior a você?
Nossas crianças precisam saber que nós pais somos frágeis! Que as coisas ruins nos atingem e que faz parte da vida ficarmos tristes, com raiva. É normal chorar!
Ensiná-los a acreditar em algo maior é sempre um caminho para acalmar. Para abraçar a fragilidade. Para saber que estão sendo cuidados mesmo longe dos pais e os impulsionar a seguir.
Vivemos em um mundo egocêntrico de pessoas que se acham autossuficientes, e adivinha? Não somos nem de longe. Ninguém é. Precisamos uns dos outros.
Estamos criando seres humanos totalmente despreparados para frustrações, porque também estamos negligenciando nossos sentimentos “ruins”. Nossas falhas.
Falta Deus! Falta amor. Falta HUMANIDADE.
Tentamos fingir para os filhos e para a vida que está sempre tudo perfeito, que damos conta do recado. E assim temos nos afastado de Deus.
Parece até que não há necessidade de mãos unidas para cima, de uma prece, de oração em lágrimas. Estamos ocupados demais tentando ser fortes, tentando preparar nossos filhos para esse mundo tão rígido quando na verdade o que salva é a mão de Deus. É a humildade, é o olhar para o outro.
Não há ninguém no mundo que só tenha alegrias. Na há nenhum homem ou mulher que não tenha magoado ou que não tenha sido magoado também.
É nosso papel contar para os nossos filhos que terão momentos que só teremos a Deus para recorrer.
Precisamos ensinar que a vida é cheia de curvas. E que em cada uma delas, há Deus, é só procurar. É só se ajoelhar.
Texto: @deumbiguinhoaumbigao - Karla Ceravolo
Coautora @maeforadacaixa ———————————————-
A Karla é a criadora da CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO BEM ESTAR INFANTIL DE GOIÂNIA que eu vou palestrar em setembro. Além disso é psicológa perinatal. Muito feliz de participar desse projeto lindo e de poder falar para tantas mães. Terá livros e dedicatórias também. Pessoal de Goiânia que se interessar corre que já estão vendendo o último lote.
Read more
Me roubaram uma história que eu tinha o direto de ter vivido. Sentido na pele. No coração. E guardado ...
Media Removed
Me roubaram uma história que eu tinha o direto de ter vivido. Sentido na pele. No coração. E guardado para sempre na memória. Não é remoer o que já passou. Sou de andar para frente, mas algumas vezes acredito que o movimento inverso ajuda a transformar nossas experiências ruins em experiências ... Me roubaram uma história que eu tinha o direto de ter vivido. Sentido na pele. No coração. E guardado para sempre na memória.
Não é remoer o que já passou. Sou de andar para frente, mas algumas vezes acredito que o movimento inverso ajuda a transformar nossas experiências ruins em experiências boas para outras pessoas.
Penso nas grávidas e nas histórias que posso incentivar a serem vividas.
Ei você, quer ter parto normal?
Eu queria muito mas 11 e 8 anos atrás não tive. Falta de informação? Sim. Falta de empoderamento? Pode ser. Eu era orientada a escutar o meu médico e não ficar procurando nada na internet. Eu confiei e segui, e você pode estar exatamente na mesma situação. Veja bem, não culpo o meu médico. Mas sim o sistema cesarista e a falta de humanidade de algumas maternidades. Fiz uma cesárea sem ao menos induzirem o meu parto. Bebê com batimentos normais. O médico disse que ele poderia estar sofrendo. Contrações de 5 em 5 minutos, sem dilatação. Eu fiz o que? Autorizei a cesárea. Fui muito bem tratada no hospital. Mesmo assim, uma das histórias que eu mais gostaria de ter vivido não teve nem chance de acontecer.
Ei você, que quer ter parto normal ou cesárea já escutou falar em Golden Hour? Não?
Logo depois da minha cesárea levaram o meu bebê. Senti raiva. Lembro da sensação de buraco e solidão na sala de parto. Não era possível ser assim.
Anos depois li sobre a golden hour. Meu instinto estava certo. Óbvio que eu deveria estar grudada neles após o parto.
Nos roubaram a mamada imediatamente após o nascimento (tem centenas de benefícios), nos roubaram o olho no olho (na primeira hora de vida o bebê, consegue enxergar o rosto da mãe), nos roubaram a espera necessária para o clapeamento do cordão umbilical (só pode ser cortado quando a circulação cessar e não imediatamente após o nascimento), nos roubaram o contato pele a pele, o reconhecimento, o vínculo.
Eu te peço, se informe, vá atrás dos caminhos que te levem para o parto que você deseja. Não deixe te roubarem a primeira hora de vida do seu filho. Afinal, vale ouro.
Texto: @maeforadacaixa
Autora do 📖: Mãe Fora da Caixa
Foto: @estheredithbirth
Tem mais sobre a golden hour no stories.
Read more
Já é madrugada e você está inquieto com cólicas que parecem não ter fim. Eu empurro o carrinho pra ...
Media Removed
Já é madrugada e você está inquieto com cólicas que parecem não ter fim. Eu empurro o carrinho pra ver se te acalma, depois te coloco na cama e faço massagens. Te pego no colo e te seguro de todas as formas. Nada funciona. A solução é te amamentar. No peito você parece mais tranquilo, mas é por pouco ... Já é madrugada e você está inquieto com cólicas que parecem não ter fim. Eu empurro o carrinho pra ver se te acalma, depois te coloco na cama e faço massagens. Te pego no colo e te seguro de todas as formas. Nada funciona. A solução é te amamentar. No peito você parece mais tranquilo, mas é por pouco tempo. Quando fico em pé tentando te acalmar, mil coisas passam pela minha cabeça.
Já se passam das duas da manhã e eu só queria estar dormindo.
Será que vai ser sempre assim?
Toda noite um novo desafio, um novo aprendizado?
Bate o desespero e tenho certeza que estou passando isso pra você.
Será egoísmo da minha parte pensar no meu descanso nesse momento? Ou tudo bem? Afinal é só o pensamento de uma mãe cansada que se dedica 24 horas do dia para cuidar do seu bebê?
Nesse momento a culpa aparece junto com a vontade de chorar por estar pensando tudo aquilo no momento que você se debate de dor.
Quando te olho, tenho a impressão que você tenta me trazer paz com o seu olhar. Então eu sorrio pra você e recebo um belo sorriso de volta.
Nesse momento meu sono vai embora, minha energia se renova e sei que está tudo bem. Você de certa forma entende a minha exaustão pela privação de sono.
Estamos caminhando. Ainda terão muitas noites mal dormidas. Por causa dos dentes, vacinas, febres, tosses, saídas para festas de aniversários, baladas e afins.
Já eram quase três da manhã. Suas dores passaram e você entrou num sono profundo. Eu me deitei para te acompanhar pois sei que em breve você estará acordado. Vai querer mamar e soltará mais uma vez aquele sorriso.
Filho, eu sei que você tem muito o que aprender comigo, mas hoje eu sei que você tem muito, muito mais para me ensinar.
Texto: @yas_bitencourt
Coautora: @maeforadacaixa
Read more
Então prepare para se conhecer de verdade. “Eu já me conheço, faço terapia há anos.” Te garanto: ...
Media Removed
Então prepare para se conhecer de verdade. “Eu já me conheço, faço terapia há anos.” Te garanto: você vai se assustar com a aula de autoconhecimento que a maternidade proporciona. Vai se chocar com a quantidade de tombos e tropeços que você vai tomar mesmo que tenha lido tudo sobre o assunto, ... Então prepare para se conhecer de verdade.
“Eu já me conheço, faço terapia há anos.” Te garanto: você vai se assustar com a aula de autoconhecimento que a maternidade proporciona.
Vai se chocar com a quantidade de tombos e tropeços que você vai tomar mesmo que tenha lido tudo sobre o assunto, feito psicanálise, curso de mindfulness e meditação transcendental. Vai se assustar com a sua força e fragilidade se unindo e se misturando a ponto de você não saber mais o que é uma coisa e o que é a outra.
A maternidade escancara cada detalhe escondido da nossa personalidade, da nossa história, da nossa identidade.
Abre portas, janelas, gavetas e até baús trancados a 7 chaves. Ela tira a gente da caixa. Muda tudo de perspectiva. Nos coloca de frente com quem realmente somos e nem sabíamos.
Difícil explicar como um ser que pesa pouco menos, ou pouco mais que 4 sacos de arroz pode ser tão poderoso.
Difícil explicar a preciosidade.
Difícil explicar o tamanho do mergulho.
Damos de cara com a bebê que fomos, com a menina que éramos, com a adolescente que deixamos para trás e com a mulher que está ali, refletida no espelho, diante dos nossos olhos. Batemos de frente com a filha que fomos e com a mãe que tivemos. Vivemos nesse movimento de separar o que queremos carregar das nossas mães e o que não queremos nem pensar. Esse movimento é diário, insistente. Me arrisco a dizer que é eterno.
A maternidade mexe com questões que temos com a nossa família e com pessoas queridas. Faz a gente querer resolver, abraçar, perdoar e deixar para trás.
Coisas que eram importantes se tornam bobas, coisas que nem dávamos importância viram água no meio do deserto.
A maternidade deixa tudo a flor da pele. Pulsando. Mas ao mesmo tempo traz uma paz profunda, até então desconhecida.
Eu nunca entendia quando minha mãe falava que eu não precisava agradecer o que ela fazia por mim. Hoje eu entendo. Fui eu que proporcionei a ela essa experiência singular que revela, que toca lá no fundo. Que traz à tona a mais genuína das verdades. E que mesmo que deixe nossa vida de pernas para o ar, faz tudo encontrar o seu lugar.
Texto: @maeforadacaixa
Autora do 📖: Mãe Fora da Caixa
Foto: @christinaloewen
Read more
Quando a noite chega e o silêncio lá fora reina, meu eu mãe e meu eu mulher se encontram, se reconhecem ...
Media Removed
Quando a noite chega e o silêncio lá fora reina, meu eu mãe e meu eu mulher se encontram, se reconhecem e se cumprimentam. É agora que preciso decidir entre vestir uma camisola sexy, ou uma camisa velha e confortável. É nessa hora que eu penso em tomar um banho demorado, relaxar e me cuidar, ... Quando a noite chega e o silêncio lá fora reina, meu eu mãe e meu eu mulher se encontram, se reconhecem e se cumprimentam.
É agora que preciso decidir entre vestir uma camisola sexy, ou uma camisa velha e confortável.
É nessa hora que eu penso em tomar um banho demorado, relaxar e me cuidar, mas é também quando eu gostaria de arrumar a bagunça da sala.
É nessa hora que eu quero ver TV e comer tranquilamente, mas penso que é melhor usar esse tempo comer algo rápido e dormir.
E no meio de tantas dúvidas adivinha?
O bebê acorda.
No celular uma conhecida pergunta como vai a vida e não tenho nem vontade de responder, porque mesmo fazendo tantas coisas, há uma sensação de que não estou fazendo nada. "Como vai?". Pareço não estar indo a lugar algum.
É nessa hora que o plano de carreira se mistura com o cardápio da semana ou a lista de frutas e legumes.
É nessa hora que a minha mãe quer conversar comigo, mas entende que agora está "um pouco complicado". É agora que eu quero o colo aconchegante dela mas não tem como.
É no fim do dia que meu eu mulher percebe como é incrível o meu eu mãe. É no fim do dia que eu me dou conta de que não estou indo a “lugar algum”, muito pelo contrário. Estou indo no caminho certo para o destino certo. Estou abraçando a maternidade e todas as suas respondabildades de peito aberto. Estou sendo mãe.
Texto da leitora: Danielle Lima @meueumamae
Coautora: @maeforadacaixa
Read more
Você sente vontade de sumir hora ou outra? Você sente um cansaço que parece que não vai acabar mesmo ...
Media Removed
Você sente vontade de sumir hora ou outra? Você sente um cansaço que parece que não vai acabar mesmo se você dormir 30 dias seguidos? Você sente que chegou no seu limite durante o milésimo choro na madrugada ou quando eles não respeitam regras básicas como ir tomar banho e acaba gritando com ... Você sente vontade de sumir hora ou outra?
Você sente um cansaço que parece que não vai acabar mesmo se você dormir 30 dias seguidos?
Você sente que chegou no seu limite durante o milésimo choro na madrugada ou quando eles não respeitam regras básicas como ir tomar banho e acaba gritando com os seus filhos?
Você sente uma vontade louca de ter mais privacidade?
Você sente que poderia ter se doado mais quando chega o fim do dia?
Você sente falta da sua liberdade?
Eu sinto tudo isso também.
Mas você já parou para pensar como a maternidade é desafiadora?
Já parou para pensar como ter um pequeno ser que depende da gente é exaustivo física e emocionalmente?
Já parou para pensar como a sua vida mudou e que é completamente normal e compreensível sentirmos falta de liberdade e privacidade
Já parou para pensar o quanto temos sido fortes, como temos nos dedicado desde o início da nossa jornada?
Já parou para pensar que é normal ter dias que não vamos conseguir oferecer o nosso melhor?
A sociedade cobra, a família cobra. Por isso saiba se parabenizar.
Você é a mãe que pode ser, é a pessoa que o seu filho mais confia.
Ele te escolheu inteira, do jeitinho que você é! Com toda a sua fragilidade, com toda a sua verdade!
Escolheu o seu coração humano e real para chamar de lar.
Texto: @maeforadacaixa
Autora do 📖: Mãe Fora da Caixa
—————————————————
Para conhecer o meu livro é só clicar no link em azul do meu perfil. 📚
Read more
Acredito que apesar das nossas escolhas como mães serem diferentes, lá no fundo estamos todas no ...
Media Removed
Acredito que apesar das nossas escolhas como mães serem diferentes, lá no fundo estamos todas no mesmo barco. Acredito que empatia e troca verdadeira entre mães ajuda a fortalecer, afasta a culpa. Acredito que as suas questões podem ser iguais as minhas e que saber disso alivia. Recebi ... Acredito que apesar das nossas escolhas como mães serem diferentes, lá no fundo estamos todas no mesmo barco. Acredito que empatia e troca verdadeira entre mães ajuda a fortalecer, afasta a culpa. Acredito que as suas questões podem ser iguais as minhas e que saber disso alivia.
Recebi esse depoimento de uma leitora. Ela está precisando de uma palavra de incentivo. De troca. “Estou te mandando essa mensagem com o coração apertado, com remorso e sensação de que não sou o suficiente para minha filha.
Ela tem 11 meses e nunca dorme uma noite toda, agora deu pra ir dormir meia noite. Ontem 1 da manhã ela queria brincar e eu estava extremamente cansada, sem conseguir manter meus olhos abertos.
Senti raiva, senti uma canseira sem tamanho e culpa porque além de trabalhar, a única hora que tenho para estar com ela eu estou assim tão cansada. Eu não tenho ajuda quando chego em casa com ela, pra você ter uma idéia eu só tomo banho quando ela dorme, ontem a canseira me venceu e eu dormi sem tomar banho.
Estou te escrevendo isso sentada na cozinha do meu trabalho, sem conseguir comer e com o coração pequenininho. Amo ela demais, por que não consigo ser uma boa mãe para ela?!
Desculpe o desabafo, mas pelo que acompanho de seus posts e seu site, você é a melhor para me ouvir!
Obrigada.”
Mensagem da leitora: @ngnathaly
Claro que ela me autorizou a colocar a mensagem aqui.
Vocês teriam uma palavra para ela? Alguém está passando ou já passou pela mesma experiência?
Read more
Tão desejada. Será que vou conseguir? Será que vai doer? Lembro de estar no hospital com o meu bebê. ...
Media Removed
Tão desejada. Será que vou conseguir? Será que vai doer? Lembro de estar no hospital com o meu bebê. Lembro do peito encher, encher e ele não conseguir mamar. Meu bico era pequeno. Lembro de muitas enfermeiras em volta de mim colocando meu filho de todos os jeitos para ver se ele conseguia ... Tão desejada.
Será que vou conseguir? Será que vai doer?
Lembro de estar no hospital com o meu bebê. Lembro do peito encher, encher e ele não conseguir mamar. Meu bico era pequeno.
Lembro de muitas enfermeiras em volta de mim colocando meu filho de todos os jeitos para ver se ele conseguia fazer a pegada. Lembro dele berrando. Lembro da minha insegurança. Lembro do meu instinto sussurrando no meu ouvido: “Fique a sós com o seu bebê”. Lembro do peito quente e duro e da dor. Lembro de ir no banheiro e esvaziar um pouco o peito. Lembro de puxar o bico para ajudar meu bebê a pegar. Lembro que ele conseguiu mamar. Lembro do alívio duplo de sentir o peito esvaziando e saber que eu tinha conseguido. Lembro da dor quando ele enfim sugava. Lembro que ele demorava uns quinze minutos só para conseguir pegar o bico. Lembro que começou a ficar tranquilo quando ele tinha um mês. Lembro da sensação maravilhosa de ter meus filhos acoplados no meu peito. Lembro do barulhinho deles deglutindo. Lembro de sentir que era tão prático, afinal em qualquer lugar o alimento estava pronto e quentinho. Lembro da sensação de orgulho de vê-los crescer e engordar com o meu próprio leite. Lembro que amamentei mais de um ano meus dois filhos. Lembro de me sentir vitoriosa por ter insistido.
Então eu lembro das mães que tentaram e não conseguiram. Imagino como deve ser difícil, hoje em dia, com tantas campanhas e com o tanto que se fala sobre os benefícios da amamentação não conseguir. “Todo mundo consegue” falam. E isso não é verdade. Na verdade é um absurdo.
Amamentar é incrível, natural, o ideal. Deve ser primordialmente incentivado, mas não é competição. A imposição dói, a obrigação sangra, abre uma ferida. Será que quem tentou até o limite também não é vitoriosa? Tenho certeza que sim.
Em vez de abrirmos ainda mais a ferida, que tal sermos a palavra que cicatriza?
Um salve para a amamentação, para a informação de qualidade, para o incentivo.
Um grande salve para aquelas que tentaram e não conseguiram. E um salve do tamanho do mundo para quem, independente da forma, alimenta o filho com afeto e amor!
Texto: @maeforadacaixa - Thaís Vilarinho
Autora do 📖: Mãe Fora da Caixa
📷 @prijosefick
Read more
Enquanto eu lavava a louça você me pediu colo, eu disse que estava ocupada. Pouco depois me chamou ...
Media Removed
Enquanto eu lavava a louça você me pediu colo, eu disse que estava ocupada. Pouco depois me chamou para ver seu desenho, fui à primeira vez, mas na segunda eu respondi irritada: ‘estou ocupada, agora não’. Quando me dei conta você estava lá no seu mundinho sozinho, assistindo tv. Meu coração ... Enquanto eu lavava a louça você me pediu colo, eu disse que estava ocupada.
Pouco depois me chamou para ver seu desenho, fui à primeira vez, mas na segunda eu respondi irritada: ‘estou ocupada, agora não’.
Quando me dei conta você estava lá no seu mundinho sozinho, assistindo tv. Meu coração despedaçou.
A gente passa tanto tempo longe né?
Trabalho o dia todo enquanto você está na escola, e o pouco tempo que nos resta eu perco tentando deixar a casa arrumada?
Me peguei pensando sobre tudo isso, sobre como o tempo passa rápido, ver meu menininho ali sentado na posição de índio (que eu acho a coisa mais linda do mundo), com seus cabelinhos sobre o rosto e sozinho. Fiquei muito mal.
A casa a gente arruma outra hora, ela permanecerá aqui, mas você está crescendo a cada dia, logo sua infância terá ido embora e você nem caberá no meu colo, nem irá querer me mostrar seus desenhos e menos ainda fará questão da minha companhia para assistir tv.
Quantas vezes deixei de estar com você? Seja brincando, seja assistindo ou desenhando para lavar a louça e limpar a casa.
Me perdoe meu filho, a urgência é viver sua infância e insistimos em priorizar os afazeres da vida adulta.
Aos poucos vou aprendendo a dizer: ‘estou ocupada’ aos afazeres domésticos enquanto assisto desenho ou brinco no parque com você!”
Texto da leitora: @eukeilamota
Postado por: @maeforadacaixa
Read more
Matheus e Thomás descem do carro para o 1 dia de aula. Olham de volta para mim como quem já sabe o que ...
Media Removed
Matheus e Thomás descem do carro para o 1 dia de aula. Olham de volta para mim como quem já sabe o que eu vou dizer. -Meninos, bom semestre. Sejam educados e tenham respeito pelo outro, mas nunca deixem de falar o que... Então eles completam naquele tom de filho para mãe: -... o que acham e o que ... Matheus e Thomás descem do carro para o 1 dia de aula.
Olham de volta para mim como quem já sabe o que eu vou dizer. -Meninos, bom semestre. Sejam educados e tenham respeito pelo outro, mas nunca deixem de falar o que...
Então eles completam naquele tom de filho para mãe:
-... o que acham e o que incomoda.
Sempre incentivei os dois a falarem o que sentem mesmo quando as coisas estão confusas na cabecinha deles.
Quando eles eram pequenos não conseguiam expressar tão bem verbalmente o que sentiam, então eu os incentivava a falar.
Por que?
Porque me dava a possibilidade de ajudá-los a organizar as emoções, a nomearem os sentimentos.
É um trabalho árduo, eles preferiam calar, queriam logo mudar de assunto. Claro, não é fácil elaborar. Mas vejo que ter incentivado os dois a evoluir nesse aspecto está sendo fundamental para a vida deles.
Hoje eu já colho frutos observando atitudes dos dois. Posso até estar redondamente enganada, mas acredito que são crianças que nunca sofrerão bullying calados, que nunca aceitarão que um colega os desrespeite. Que saberão falar não. Que nunca aceitarão que alguém os menospreze no trabalho.
Por que eu acho isso?
Porque quem consegue elaborar o que sente e falar com educação se conhece melhor, é bem resolvido. Não leva desaforo para casa, mas ao mesmo tempo não responde com desaforo e sim se coloca com respeito quando acha necessário.
Hoje existem muitas linhas de educação que nos dizem para criarmos crianças questionadoras, que saibam se colocar e que respeitem o outro. O que é incrível. Necessário. Mas lá atrás nossos tataravós já faziam isso de certa forma com os nossos bisavós dizendo: “Não faça com o outro o que você não gostaria que fizesse com você.” O inverso também é importante dizer: “Não aceite que alguém faça com você o que você não faria com o outro.”
Hoje sinto orgulho de mim por eles saberem completar a minha frase, mesmo que naquele tom de filho para mãe.
Orgulho de me esforçar para que eles nunca morram pela boca. Nem por ficarem entalados sem dizer algo que gostariam, e nem por falarem sem respeito com o próximo.
Texto: @maeforadacaixa
Autora do 📖: Mãe Fora da Caixa
Foto: @mamaecool
Read more
Se você é mãe na adolescência, e está no ensino médio eles dizem: “Que irresponsável.” “Nunca vai ...
Media Removed
Se você é mãe na adolescência, e está no ensino médio eles dizem: “Que irresponsável.” “Nunca vai saber criar essa criança.” “Acabou com a vida.” “Não vai terminar o colégio.” Se você tem seus 20 e poucos eles dizem: “Porque não esperou se formar?” “Não vai conseguir se formar.” Se você se ... Se você é mãe na adolescência, e está no ensino médio eles dizem: “Que irresponsável.” “Nunca vai saber criar essa criança.” “Acabou com a vida.” “Não vai terminar o colégio.”
Se você tem seus 20 e poucos eles dizem: “Porque não esperou se formar?” “Não vai conseguir se formar.”
Se você se torna mãe com uns 30, no momento que está alavancando sua carreira profissional eles dizem: “Por que não esperou ter estabilidade financeira?” “Como vai fazer para trabalhar com um bebê pequeno?”
Se você se torna mãe por volta dos 40, quando já está bem “resolvida” na vida eles dizem: “Que louca, ter filho nessa idade.” “Não vai ter disposição.” Para a sociedade não tem tempo certo. Sempre tem um porém, sempre tem uma crítica, sempre tem algo errado.
E não é só com relação a idade “certa” de se tornar mãe, mas também para absolutamente tudo o que vem depois.
Por isso olhe para dentro. Viva a maternidade como ela se apresenta para você. Busque não se lamentar, se ouvir.
Seja sua principal aliada e faça as coisas do seu jeito, da forma que achar melhor. Procure agradar a si mesma e não aos outros. Isso da leveza.
Faça tudo no seu tempo, da forma que você acredita e tudo dará certo!
Na hora você pode até achar que não, mas com o tempo você terá certeza que seu filho veio no momento certo para você.
Texto da leitora : @thayna_azvd
Coautora: @maeforadacaixa
Read more
Se o seu bebê está em segurança, sendo cuidado por alguém de confiança e você tem vontade ou precisa ...
Media Removed
Se o seu bebê está em segurança, sendo cuidado por alguém de confiança e você tem vontade ou precisa sair, vá! Como? A pé, correndo, de carro, de ônibus, de avião, de metrô, de navio, de trem, de bicicleta, de ubber (principalmente se for beber), não importa. Vá. Por um dia, por uma noite, ... Se o seu bebê está em segurança, sendo cuidado por alguém de confiança e você tem vontade ou precisa sair, vá!
Como?
A pé, correndo, de carro, de ônibus, de avião, de metrô, de navio, de trem, de bicicleta, de ubber (principalmente se for beber), não importa. Vá.
Por um dia, por uma noite, por um fim de semana e até por uns dias por que não?
Você pode pular de paraquedas, tomar um vinho enquanto janta com amigas, voltar a trabalhar, aprender algo novo, se exercitar, sair para namorar, ir no salão, fazer uma viagem, ler um livro, sair para dançar, dar uma volta pelo bairro ou simplesmente tomar um cafezinho na padaria da esquina.
Esse tabu sobre “mãe que é mãe não poder sair nem um segundo do lado do bebê” massacra a mulher que quer ou que precisa sair de casa.
Claro que tem mães que não tem essa necessidade, nem vontade e ótimo. Mas isso não tira jamais o direito das que tem vontade ou precisam ir. Isso não as faz menos mães do que as que estão em casa o tempo todo.
Acredite, não é crime, muito pelo contrário é saudável e questão de sobrevivência para que tem necessidade.
O mundo tem a péssima mania de achar que quando a mulher vira mãe se transforma em um ser acima do bem e do mal, 24 horas de doação e amor. Não. Somos humanas. Reais. De carne e osso, não esqueça.
Desde que você queira, desde que a vontade venha do seu coração e não dá imposição de outras pessoas, ou que precise, você pode sair por algum tempo da órbita da maternidade sem culpa alguma.
Se te chamarem de louca? Dane-se.
Mãe descuidada? Mande passear.
Fora da casinha? De risada.
Mãe ausente? Pergunte se ela paga as suas contas.
A maternidade não precisa ser o seu único foco para você ser uma boa mãe.
Por isso quando a vontade chegar, quando a necessidade bater, voa menina, viva! A vida é uma só.
Você se torna mais incrível ainda quando aceita a mãe que você pode ser. Quando abraça as suas vontades e necessidades. Mesmo que alguma delas não seja estar o tempo todo do lado do seu bebê.
Confia, está tudo bem!
Texto: @maeforadacaixa - Thaís Vilarinho
Autora do 📖: Mãe Fora da Caixa
———————————————
Para conhecer o meu livro é só clicar no link azul do meu perfil.📚
Read more
E se me perguntarem qual a fase mais difícil da maternidade, eu os digo, agora. Hoje. A verdade é ...
Media Removed
E se me perguntarem qual a fase mais difícil da maternidade, eu os digo, agora. Hoje. A verdade é que cada fase tem seus prós e contras. Suas maravilhas e complicações. Mas a gente sempre acha que a que estamos vivendo é a mais difícil. Recém nascido, difícil? Sim, muito! Ainda mais quando ... E se me perguntarem qual a fase mais difícil da maternidade, eu os digo, agora. Hoje.
A verdade é que cada fase tem seus prós e contras. Suas maravilhas e complicações. Mas a gente sempre acha que a que estamos vivendo é a mais difícil.
Recém nascido, difícil? Sim, muito! Ainda mais quando o bebê sofre de cólica, gases ou refluxo. Preocupação atrás de preocupação.
O bebê está respirando? Está incomodado? Está bem? A insegurança dá as caras. Ficamos tensas na maior parte do tempo. Afinal um RN é tão indefeso e pequeno.
Mas então começam a crescer, e as preocupações mudam. Hoje não é apenas o cansaço físico de antes. Quando a educação entra o cansaço também passa a ser mental.
O filho não é mais um RN que dorme com qualquer embalo, ou que se alimenta apenas de leite. Ele tem vontades. E quantas vontades.
Educar, ensinar, se cobrar, se doar, educar de novo, ensinar de novo, se cobrar de novo. Não tem fim.
Tem dias que não funcionamos, tem dias que tiramos de letra.
Oscilação de humor define.
Estresse, bem estar, irritabilidade, alegria, cansaço, felicidade.
O cansaço mental é tão grande, que olhamos para trás e achamos que cuidar de um RN não é tão difícil como achávamos.
A verdade é que a maternidade como tudo na vida caleja, acostuma. A gente se adapta.
Mas apesar de todo o cansaço, tem sempre aquele sorriso e o beijo roubado no final do dia como recompensa.
Texto: @jositrambaioli
Josi também escreve sobre maternidade! A filha dela é uma fofura ❤️
Coautora: @maeforadacaixa
Read more
Eu sei. Você imaginava que praia com filhos pequenos era uma delícia. Tranquilo. Não que não seja ...
Media Removed
Eu sei. Você imaginava que praia com filhos pequenos era uma delícia. Tranquilo. Não que não seja gostoso. Veja bem, mas é um gostoso bem diferente do que costumava ser. Antes de sair você imagina os filhos brincando na areia enquanto você está sentada na sombrinha lendo o seu livro. Então ... Eu sei. Você imaginava que praia com filhos pequenos era uma delícia. Tranquilo.
Não que não seja gostoso. Veja bem, mas é um gostoso bem diferente do que costumava ser.
Antes de sair você imagina os filhos brincando na areia enquanto você está sentada na sombrinha lendo o seu livro. Então você pega o livro e arruma um cantinho na bolsa que já está mais que abarrotada.
Chegando na praia, protetor nos filhos. Em você quando dá e geralmente aplicado as pressas porque eles pedem desesperadamente pelos brinquedos. Com o baldinho na mão eles imediatamente pedem água do mar para fazer um castelo. Uma, duas, três, quarenta e cinco vezes. Daqui a pouco é o sorvete. Depois o mais velho quer ir na água. Em seguida eles pedem para você cavar um buraco. Quando você termina o menor que ir no mar. Então você tem que segurá-lo pelas mãozinhas para ele não tomar um caldo. A lombar aparece para dizer que foi junto. Começa a doer. Você fala para ele que já está na hora de sair do mar. Ele chora. Quer mais.
Nessa hora, mesmo molhada até os joelhos, você já está suando o suvaco, o bigode e todo o resto.
Quando enfim você consegue tirar um da água o outro pede pastel. Fila. Seus miolos fritam. Sim, porque existe uma diferença imensa em tomar Sol deitada na cadeira de praia e na bendita fila do pastel.
Quando você chega com o pastel a cadeira parece que te chama para sentar na sombra. Aquele cochilo na praia lembra? Com o barulho do mar e a brisa no rosto. A lembrança fica ali, vagando pela sua memória.
Então, no susto, você sai da lembrança quando te chamam dizendo que o mais novo fez cocô na fralda. Você monta uma mini cabana para conseguir tirar a fralda sem que aquilo vire a atração da praia.
Aí você lembra do livro e ri.
Nessa hora o mais novo começa a ficar manhoso, cheio de sono e você tem que achar um espacinho na sombra para fazê-lo dormir.
No caminho de volta, quem te olha acha que você está voltando de um treino de Crossfit e nunca jamais da praia com filhos.
Então, antes do banho, a hora que você tira o biquíni e se olha no espelho surpresa, parece uma zebra.
Texto: @maeforadacaixa
Autora do 📖 Mãe Fora da Caixa
Foto: @rocamoon
Read more
Sei que temos muitos momentos marcantes. Mas acredito que nenhum deles será mais incrível do que ...
Media Removed
Sei que temos muitos momentos marcantes. Mas acredito que nenhum deles será mais incrível do que ver nossos filhos juntos. Queria dizer tantas coisas para te ajudar a se preparar. Fico até perdida, mas vamos lá: Você vai olhar a fralda na hora de fechar e vai perceber que ela está do lado errado. ... Sei que temos muitos momentos marcantes. Mas acredito que nenhum deles será mais incrível do que ver nossos filhos juntos.
Queria dizer tantas coisas para te ajudar a se preparar. Fico até perdida, mas vamos lá:
Você vai olhar a fralda na hora de fechar e vai perceber que ela está do lado errado. Você também vai levar muitos “xixis” antes de pegar prática. De risada de si mesma, da leveza.
Se prepare para aprender a fazer suas refeições apenas com uma das mãos. A outra vai estar ocupada segurando o neném. Você vai pedir em silêncio uma refeição tranquila. Mas aproveite, passa rápido, logo mais ele já vai estar andando por aí.
Se prepare para os julgamentos quando você disser que dá o peito deitada, ou que da mamadeira. Ignore e siga com o seu instinto.
Se prepare para quebrar o protocolo “mamar/arrotar/deixar em pé por 20 minutos para evitar gases”. Principalmente nas madrugadas. O cansaço muitas vezes vence, somos humanas.
Um dia a chupeta vai cair em um lugar que não tem onde limpar. O bebê vai chorar sem parar, então você vai dar uma limpadinha na sua roupa e oferecer a chupeta. E nada de mau vai acontecer com ele. Pode apostar.
Quando alguém for ficar com o bebê para você tomar banho, a sua vontade vai ser de ficar ali por horas. Quieta. No seu mundo. Não se culpe por isso, você merece esse tempo.
Vai ter um dia que seu bebê vai chorar tanto que você vai chorar também e implorar por silêncio. Saiba que é completamente normal. Cuidar de um bebê não é fácil como dizem por aí.
Se prepare para no exato momento de tomar um delicioso cappuccino quentinho, seu bebê acordar chorando. Não se assuste se a sua reação ao invés de atendê-la prontamente, for deixa-lá esperando uns minutinhos. Afinal, só você vai saber o quanto precisa daquele café. E acredite, o bebê não vai ficar traumatizado por isso.
Querida irmã, cada mãe é única e tem suas próprias experiências. Você vai ser a melhor mãe para o seu filho, pode acreditar.
Ter um filho é algo que não dá para se preparar. A preparação é a vivência. Dia a dia. Conte comigo. Minha mão sempre estará aí juntinho da sua.
Texto da leitora: @mcarbinatto
Coautora: @maeforadacaixa
Read more
Madrugada. Escura. Funda. Acordar de hora em hora e encontrar com ela, muitas vezes, assusta. Os ...
Media Removed
Madrugada. Escura. Funda. Acordar de hora em hora e encontrar com ela, muitas vezes, assusta. Os olhos ressecam, o cansaço machuca. O tempo que não passa. O bebê chora e de jeito nenhum acalma. Alimentamos, trocamos fralda, ninamos, damos carinho e acalento. Choramos, perdemos a paciência ... Madrugada. Escura. Funda. Acordar de hora em hora e encontrar com ela, muitas vezes, assusta. Os olhos ressecam, o cansaço machuca. O tempo que não passa. O bebê chora e de jeito nenhum acalma. Alimentamos, trocamos fralda, ninamos, damos carinho e acalento. Choramos, perdemos a paciência e ela ainda ali, olhando a gente. Vem a solidão. O peito aperta. Ela não vai embora. A madrugada dura a vida inteira.
Sempre bati de frente com ela. Eu querendo dormir e ela me querendo acordada. Mesmo quando meus filhos já dormiam, de repente, eu despertava. Era como se ela me chamasse. Cobrava minha presença. Que raiva!
Certo dia, porém, enquanto meu bebê mamava, encontrei paz no silêncio dela. De repente. Entre uma escuridão e outra. Encontrei a beleza daquele momento. A raiva de lado, dormindo, e eu via meus pensamentos passeando, com calma, encontrando lugar.
Escutei meu bebê me sugando, o peito esvaziando, nossa respiração.
O som de sermos um só.
Foi a primeira vez que senti isso. Ali, naquele momento, fiquei amiga dela, arrependida por ter me queixado tanto. Claro que hora ou outra ainda temos alguns arranca-rabos. Mas, hoje, sei que só existe o dia porque existe a noite. A luz entrou. Continuamos em paz. Eu, meu bebê e a madrugada dentro da gente.
Texto: @maeforadacaixa
Autora do 📖: Mãe Fora da Caixa
Fofo: @amandapahls ———————————————-
Se você tem interesse em conhecer o meu livro é só clicar no link em azul do meu perfil 📚
Read more
Antes de você... Eu passava noites em festas, mas dormia o resto do dia. Fazia o que dava na telha. Acordava ...
Media Removed
Antes de você... Eu passava noites em festas, mas dormia o resto do dia. Fazia o que dava na telha. Acordava mal-humorada, nada me fazia dar risada. Não me emocionava facilmente, chorar na frente dos outros nem pensar. Amava ir toda semana ao cinema. Mastigava bem os alimentos. Paciência ... Antes de você...
Eu passava noites em festas, mas dormia o resto do dia.
Fazia o que dava na telha.
Acordava mal-humorada, nada me fazia dar risada.
Não me emocionava facilmente, chorar na frente dos outros nem pensar.
Amava ir toda semana ao cinema.
Mastigava bem os alimentos.
Paciência não era meu forte.
Meus propósitos eram só meus.
Ahh, mas depois de você...
Perco noites de sono cuidando e te alimentado. Acordo cansada, mas os mesmo tempo alegre e abastecida de amor.
O “dá na telha” às vezes não dá certo, e tudo bem, eu tenho você.
Posso até não acordar bem humorada mas só de ver sua boquinha banguela sorrindo pra mim mudo de humor na hora.
Me emociono facilmente, mesmo estando em lugares públicos. Se vejo você chorar com dor então, choro junto.
O cinema demorou um pouco para sair, mas quando saiu não teve a mesma graça, contei os minutos para voltar para casa.
Mastigo poucas vezes os alimentos, toda vez que coloco uma garfada na boca, você também se sente no direito de comer e preciso parar para te alimentar.
Minha paciência que não existia tem melhorado a cada dia.
Meus propósitos por mais que sejam meus, agora também são seus.
Hoje eu sei que o “meu eu” depois é incomparavelmente melhor que do que o “meu eu” de antes.
Obrigada por vir, obrigada por me escolher. Eu amo você.
Texto da leitora: @camila_ns91
Coautora: @maeforadacaixa
Read more
Amiga fica. Nas cicatrizes dos joelhos e das canelas. Na brincadeira preferida. No cheiro que ...
Media Removed
Amiga fica. Nas cicatrizes dos joelhos e das canelas. Na brincadeira preferida. No cheiro que nos remete ao colégio e a faculdade. Nas melhores risadas e loucuras. No verão mais incrível que já existiu. Nas lágrimas de desilusões amorosas. Amiga fica. Nos melhores conselhos e ... Amiga fica.
Nas cicatrizes dos joelhos e das canelas.
Na brincadeira preferida.
No cheiro que nos remete ao colégio e a faculdade.
Nas melhores risadas e loucuras.
No verão mais incrível que já existiu.
Nas lágrimas de desilusões amorosas.
Amiga fica.
Nos melhores conselhos e nos mais malucos também.
Nas músicas que mais amamos e nos melhores shows que assistimos.
Na viagem de formatura, na primeira viagem para praia sem os pais e nas festas a fantasia.
Amiga fica.
Nos maiores segredos e nos maiores sonhos.
No grito vibrante de cada conquista.
No abraço que esquenta e acalma.
Na ligação no momento tão certo que a gente até assusta.
Amiga fica.
Nas conversas mais profundas sobre ser mãe.
Nas verdades que temos medo de assumir até para nós mesmas.
Nos dias mais felizes e nos mais tristes também.
Amiga que é amiga mesmo quando vai, fica.
Texto: @maeforadacaixa
Autora do 📖: Mãe Fora da Caixa
Marque sua amiga e faça uma homenagem, hoje é dia do amigo .
—————————————————————-
Para conhecer o meu livro é só clicar no link em azul do meu perfil📚
Read more
Sou uma mãe comum como você. Erro e contorno tentando ouvir o que o meu coração pulsa dizendo ser o ...
Media Removed
Sou uma mãe comum como você. Erro e contorno tentando ouvir o que o meu coração pulsa dizendo ser o melhor caminho. Sempre foi assim, não poderia ser diferente com a experiência dos meus partos. Fiz uma cesárea agendada no meu primeiro filho. O médico falou que o bebê era grande, que minha bacia ... Sou uma mãe comum como você. Erro e contorno tentando ouvir o que o meu coração pulsa dizendo ser o melhor caminho. Sempre foi assim, não poderia ser diferente com a experiência dos meus partos.
Fiz uma cesárea agendada no meu primeiro filho. O médico falou que o bebê era grande, que minha bacia era pequena, e que seria necessário uma cesárea. Me frustrei, mas confiei no médico e fui. Meu filho nasceu bem, deu tudo certo. Lembro que cheguei até a pensar que o médico nos salvou.
Mas hoje, com o coração apertado eu penso:
Por que uma cesárea?
Pouco tempo depois engravidei novamente. Logo na primeira consulta ele me disse que não teria como eu ter parto normal após ter feito uma cesárea recentemente. Disse que a chance de ruptura uterina era grande. Passei quase a gestação toda achando que faria uma cesárea novamente.
Até que uma noite qualquer passei mal e fui para o pronto socorro. Coisas de Deus. Lá os médicos me examinaram e disseram que não tinha necessidade nenhuma de outra cesárea. Que o risco de ruptura era mínimo.
Então algo acendeu dentro de mim. Algo guardado e encoberto pelo discurso do meu médico.
Posso ter um parto normal!
Meu coração começou a bater rápido, forte e cheio de esperança.
Iria ganhar meu bebê pelo SUS, mas consegui uma doula e um médico.
Meu segundo filho nasceu lindo e saudável através de um parto normal pra lá de emocinante.
Foi uma das maiores e melhores experiências da minha vida. Meu pós parto está sendo bem mais tranquilo e eu me sinto respeitada. Dona de mim.
Penso quantas e quantas mulheres assim como eu, perderam essa experiência, esse direito e são violentadas e enganadas sem nem se darem conta.
Veja bem, eu sei que a cesárea pode salvar vidas. Mas é para ser usada quando necessário, ou se a mãe, depois de todas as informações, escolher esse caminho. Não é para ser usada da forma que foi comigo.
E você, está na dúvida? Procure informação.
Por que insistimos em não confiar na natureza se ela vem de Deus?
Não deixe que nada faça você perder a conexão com o seu instinto. Não existe nada mais poderoso do que isso.
Acredite no seu corpo, acredite em você!
Texto: @talimaedosbe
Coautora: @maeforadacaixa
Read more
Sei que você está emocionada e radiante nessa nova função de ser avó. Acha o netinho a coisa mais linda ...
Media Removed
Sei que você está emocionada e radiante nessa nova função de ser avó. Acha o netinho a coisa mais linda do planeta. Está morrendo de amores e não consegue tirar os olhos dele. Mas olhe com cuidado, olhe com atenção. Olhe quem está por trás do bebê limpinho e alimentado. Olhe quem tem perdido ... Sei que você está emocionada e radiante nessa nova função de ser avó. Acha o netinho a coisa mais linda do planeta. Está morrendo de amores e não consegue tirar os olhos dele.
Mas olhe com cuidado, olhe com atenção. Olhe quem está por trás do bebê limpinho e alimentado. Olhe quem tem perdido noites de sono. Olhe quem teve o corpo transformado. Olhe para quem já esteve no seu colo como filha.
Ela pode até estar querendo se fazer de durona, pode estar querendo mostrar que da conta de tudo e que não precisa da sua ajuda. Eu sei, estive há pouco no lugar dela. Mas acredite, não é nada fácil. Tudo é novo e delicado. Ao mesmo tempo que é a coisa mais maravilhosa do mundo, da medo.
Por isso, feche os olhos e puxe da sua memória emoções e sentimentos de quando você se tornou mãe.
Faz tempo?
Não tem problema, se esforce. Deve existir muitas lembranças daquela época. Lembre da insegurança e da sensação de terem arrancado a sua liberdade. Lembre da fragilidade.
Sua mãe não te ajudou em nada? Mas olha que coisa boa, agora você tem chance de fazer diferente.
E lembre-se, mesmo que você tenha passado por essa fase com tranquilidade pode ser que não aconteça assim com a sua filha. Cada mulher sente de forma diferente.
Ah e o principal, é completamente diferente ser mãe de ser avó.
Por isso olhe para ela, lembre da bebê que você carregou no colo pela primeira vez, anos atrás. Ela precisa de você. Talvez mais do que naquela época.
Por isso mesmo que ela fale que não precisa de ajuda, chegue com calma, com um abraço, com um cafuné. Sem regras. Sem certo ou errado. Chegue limpa, aberta e armada somente de amor.
Não critique, valide as dores e alegrias. Diga que você entende. Faça um chá quente ou um bolo bem gostoso. Seja sorriso e mão estendida.
Lá no fundo, ela conta muito com você.
Quem tem o papel de cuidar do bebê é ela. Mas e quem cuida dela?
Eu sei, ela cresceu, mas como mãe acabou de nascer.
Texto: @maeforadacaixa - Thaís Vilarinho
Autora do 📖: Mãe Fora da Caixa ———————————————
Se quiser conhecer o livro é só clicar no link em azul do meu perfil.
Read more
Ele sempre prefere estar comigo. São muitos abraços e beijos que o cercam. Mas ele prefere sempre ...
Media Removed
Ele sempre prefere estar comigo. São muitos abraços e beijos que o cercam. Mas ele prefere sempre os meus. Braços se oferecem para terem ele no colo. Mas sinto que para ele não há colo no mundo mais macio e acolhedor do que o meu. Ele sorri para muita gente. Tem o sorriso doce é fácil. Ah, mas ... Ele sempre prefere estar comigo.
São muitos abraços e beijos que o cercam. Mas ele prefere sempre os meus.
Braços se oferecem para terem ele no colo. Mas sinto que para ele não há colo no mundo mais macio e acolhedor do que o meu.
Ele sorri para muita gente. Tem o sorriso doce é fácil. Ah, mas o sorriso mais bonito é sempre quando me vê.
Ele gosta de dormir comigo, cantar comigo. Estar comigo.
Muita gente não entende e até reprova, mas como poderia ser diferente?
Ele sabe, ele sente. Quando todos se vão, quando ninguém sabe o que fazer quando ele chora, sou eu que fico.
Quando todos se entregam ao sono profundo, sou eu que sempre estou em estado de alerta para o que ele precisar. E isso ninguém vê. Isso ninguém sente. Só ele.
Essa preferência é nada mais nada menos do que uma forma de gratidão.
Bebês não falam mas são sábios e encontram sempre uma forma de se comunicar.
E por mais que seja incrível porém exaustivo ser o mundo para ele , eu quero que ele saiba:
Filho, entre todos eu prefiro você!
Texto: @leonitamachado
Coautora: @maeforadacaixa
Read more
O que é real para você pode não ser para mim e isso não torna a minha maternagem irreal e a sua real ou ...
Media Removed
O que é real para você pode não ser para mim e isso não torna a minha maternagem irreal e a sua real ou vice versa. Jamais. Cada uma tem sua condição, suas particularidades. Tem a mãe real que gera e a mãe real que adota. Tem a mãe real que fez parto normal e a mãe real que fez cesárea. Tem a mãe real ... O que é real para você pode não ser para mim e isso não torna a minha maternagem irreal e a sua real ou vice versa. Jamais.
Cada uma tem sua condição, suas particularidades.
Tem a mãe real que gera e a mãe real que adota.
Tem a mãe real que fez parto normal e a mãe real que fez cesárea.
Tem a mãe real que amamentou e a mãe real que não amamentou.
Tem a mãe real que trabalha fora e a mãe real que fica em casa.
Tem a mãe real que tem muita ajuda e a mãe real que não tem ajuda alguma.
Tem a mãe real que gosta de brincar e a mãe real que prefere interagir de outra maneira.
Tem a mãe real que é super preocupada e a mãe real que é mais desencanada.
Tem a mãe real que ama dormir com o filho na cama e a mãe real que prefere o filho dormindo berço.
Tem a mãe real que só oferece comida natureba e a mãe real que não liga de dar um docinho de vez em quando.
Nenhuma escolha te faz menos real ou menos mãe do que qualquer outra mãe do planeta. Acredite.
A sua realidade não pode te impedir de aceitar e respeitar outras formas de maternar. Todos os caminhos estão abertos e são possíveis. Não temos que andar em cima de trilho algum.
Mas então o que nos torna reais?
Validarmos todo e qualquer tipo de sentimento. Tentarmos esconder cada vez menos, embaixo do tapete, medo, cansaço, vontade de sumir e até a culpa, quando ela aparece. O que nos torna reais é abraçarmos cada detalhe da nossa maravilhosa imperfeição como quem abraça uma grande amiga.
O que te faz real é o cuidado, a entrega, a conexão que você tem com o seu filho e com você. Sim você! Real é a sua verdade. A sua liberdade.
Texto: @maeforadacaixa - Thaís Vilarinho
Autora do 📖: Mãe Fora da Caixa
Foto: @jadebeallphotography
Read more
Maternidade e maternagem são coisas diferentes. Maternidade é o laço de parentesco que une mãe ...
Media Removed
Maternidade e maternagem são coisas diferentes. Maternidade é o laço de parentesco que une mãe ao filho. Gerar, parir, condição biológica. Maternagem é o cuidado próprio de mãe.  Amar, proteger, amamentar, ninar, educar. É sempre uma escolha. A maternidade é um marco em minha vida, ... Maternidade e maternagem são coisas diferentes.
Maternidade é o laço de parentesco que une mãe ao filho. Gerar, parir, condição biológica.
Maternagem é o cuidado próprio de mãe.  Amar, proteger, amamentar, ninar, educar. É sempre uma escolha.
A maternidade é um marco em minha vida, mas a maternagem faz toda a diferença na minha evolução como pessoa.
Praticar a maternagem é estar em constante evolução, viver um turbilhão de emoções sejam elas boas ou ruins. É ter medos e certezas, sentir raiva e amor, vontade de sumir e estar junto ao mesmo tempo. Ter saudades e dar de cara com as nossas imperfeições.
Faz parte da maternagem não dar conta de tudo, errar e pedir ajuda. Não existe certo ou errado.
Cada maternagem é um mundo, por isso empatia, respeito e mão estendida é o caminho para cada uma viver a sua com tranquilidade e mais leveza.
A vivência da maternagem nos faz perceber que somos diferentes em cada fase. A mãe que fui quando minha filha nasceu, já evoluiu. Cresceu com as experiências.
O grande e maior objetivo da maternagem é tornar o filho independente. Por isso, não devemos ficar nos lamentando das fases estarem acabando. Que tal focar na oportunidade maravilhosa que é observar um filho se desenvolver?
Claro que tenho saudades da minha filha bebezinha, quando era totalmente dependente de mim, mas vejo hoje uma companheira, apesar de muitos desafios que sei que ainda estão por vir.
Seja uma mãe de fases e curta o jogo da vida e do crescimento do seu filho.
Texto: @anayuan1
Coautora: @maeforadacaixa
Tem mais sobre esse tema lá no stories. Vale a pena conferir, principalmente as mães que trabalham fora. ❤️
Read more

Loading...