Loading Content...

Ricardostuckert Instagram Photos and Videos

Loading...


ricardostuckert Ricardo Stuckert @ricardostuckert mentions
Followers: 3,925
Following: 718
Total Comments: 0
Total Likes: 0

Índio Kalapalo na aldeia Ahía no Xingu. Kalapalo Indian in the Ahía village, state of Mato Grosso, ...
Media Removed
Índio Kalapalo na aldeia Ahía no Xingu. Kalapalo Indian in the Ahía village, state of Mato Grosso, Brazil. #projetoindiosbrasileiros #indiosbrasileiros #indigenouspeople #kalapalo #xingu #matogrosso #brasil #brazil #ricardostuckert Índio Kalapalo na aldeia Ahía no Xingu.

Kalapalo Indian in the Ahía village, state of Mato Grosso, Brazil. #projetoindiosbrasileiros #indiosbrasileiros #indigenouspeople #kalapalo #xingu #matogrosso #brasil #brazil #ricardostuckert
Loading...
Índios Kalapalo durante a luta Huka-Huka na aldeia Ahía no Xingu. Kalapalo Indians during the ...
Media Removed
Índios Kalapalo durante a luta Huka-Huka na aldeia Ahía no Xingu. Kalapalo Indians during the Huka-Huka fight in the Ahía village, state of Mato Grosso, Brazil. #projetoindiosbrasileiros #indiosbrasileiros #indigenouspeople #kalapalo #xingu #matogrosso #brasil #brazil #ricardostuckert Índios Kalapalo durante a luta Huka-Huka na aldeia Ahía no Xingu.

Kalapalo Indians during the Huka-Huka fight in the Ahía village, state of Mato Grosso, Brazil. #projetoindiosbrasileiros #indiosbrasileiros #indigenouspeople #kalapalo #xingu #matogrosso #brasil #brazil #ricardostuckert
No agreste pernambucano, @fernandohaddadoficial com Dona Marina Maria de Jesus, de 93 anos. #ricardostuckert
Media Removed
No agreste pernambucano, @fernandohaddadoficial com Dona Marina Maria de Jesus, de 93 anos. #ricardostuckert No agreste pernambucano, @fernandohaddadoficial com Dona Marina Maria de Jesus, de 93 anos. #ricardostuckert
Índios Kalapalo na aldeia Ahía no Xingu. Kalapalo Indians in the Ahía village, state of Mato Grosso, ...
Media Removed
Índios Kalapalo na aldeia Ahía no Xingu. Kalapalo Indians in the Ahía village, state of Mato Grosso, Brazil. #projetoindiosbrasileiros #indiosbrasileiros #indigenouspeople #kalapalo #xingu #matogrosso #brasil #brazil #ricardostuckert Índios Kalapalo na aldeia Ahía no Xingu.

Kalapalo Indians in the Ahía village, state of Mato Grosso, Brazil. #projetoindiosbrasileiros #indiosbrasileiros #indigenouspeople #kalapalo #xingu #matogrosso #brasil #brazil #ricardostuckert
 #Aracaju #Sergipe #ricardostuckert
Media Removed
#Aracaju #Sergipe #ricardostuckert #Aracaju #Sergipe #ricardostuckert
O jornal The Sun do Reino Unido publicou uma série de fotos do livro ÍNDIOS BRASILEIROS. A matéria ...
Media Removed
O jornal The Sun do Reino Unido publicou uma série de fotos do livro ÍNDIOS BRASILEIROS. A matéria traz várias imagens que serão publicadas no livro. A matéria está disponível no link abaixo. https://www.thesun.co.uk/news/5118175/incredible-images-show-remote-brazilian-tribe-which-was-nearly-wiped-out-by-disease-dancing-balancing-in-trees-and-swimming-in-waterfalls/ ... O jornal The Sun do Reino Unido publicou uma série de fotos do livro ÍNDIOS BRASILEIROS. A matéria traz várias imagens que serão publicadas no livro.
A matéria está disponível no link abaixo.
https://www.thesun.co.uk/news/5118175/incredible-images-show-remote-brazilian-tribe-which-was-nearly-wiped-out-by-disease-dancing-balancing-in-trees-and-swimming-in-waterfalls/
The Sun UK published a series of photos of the book BRAZILIAN INDIANS. The story features a slideshow with several images that will be published in the book.
#projetoindiosbrasileiros #indiosbrasileiros #thesun #ricardostuckert
Read more
Loading...
Um mergulho nas origens. Foi aqui no Quilombo Kalunga do Engenho II, em Cavalcante (GO), que o os ...
Media Removed
Um mergulho nas origens. Foi aqui no Quilombo Kalunga do Engenho II, em Cavalcante (GO), que o os pais de João Pedro nasceram. Depois, foram para o Distrito Federal em busca de uma vida melhor. Lá, João Pedro nasceu. A mãe não se adaptou a vida na cidade grande e decidiu voltar para a comunidade. ... Um mergulho nas origens.
Foi aqui no Quilombo Kalunga do Engenho II, em Cavalcante (GO), que o os pais de João Pedro nasceram. Depois, foram para o Distrito Federal em busca de uma vida melhor. Lá, João Pedro nasceu.
A mãe não se adaptou a vida na cidade grande e decidiu voltar para a comunidade. João Pedro foi com a mãe. No Quilombo, ele estudou na escola municipal do Engenho onde concluiu o ensino médio. Em seguida, fez a prova do Enem, conseguiu uma bolsa do Prouni e hoje faz Engenharia Civil no Distrito Federal. "A minha geração é diferente dos meus pais. Eles saíram da comunidade para trabalhar e depois voltaram. A gente tem mais oportunidade de estudar.
Quando eu me formar, quero voltar para a comunidade. O Quilombo é um lugar bom para viver, com uma boa qualidade de vida. Eu saí para ter mais conhecimento, mas quero voltar a morar aqui para contribuir com a minha comunidade. Eu, especificamente como engenheiro, pretendo unir o conhecimento tradicional com o técnico. Eu vejo que meu povo está perdendo muito daquilo que sabe. As construções na comunidade, por exemplo, são feitas hoje em alvenaria convencional, concreto. Nós poderíamos construir em adobe, tijolo ecológico. Tudo isso com muita qualidade" - João Pedro.
Nesta foto, João Pedro mergulha na cachoeira Santa Bárbara que fica na comunidade Kalunga em Cavalcante, Goiás.
A dip in the origins.
It was here in Quilombo Kalunga do Engenho II, in Cavalcante (GO), that the parents of João Pedro were born. Then they went to the Federal District, Brazil, in search of a better life. There, João Pedro was born. The mother did not adapt to life in the big city and decided to return to the community. João Pedro went with his mother. In Quilombo, he studied in the municipal school of Engenho where he finished high school. Then, he did the Enem test, got a Prouni scholarship, and today he does Civil Engineering in the Federal District. "My generation is different from my parents, they left the community to work and then they came back, we have more opportunity to study. When I graduate, I want to go back to the community. Quilombo is a good place to live, with a good quality of life”. #ricardostuckert
Read more
Mãos que se encontram e se apoiam na construção da vida Trabalhando a terra, transformando o barro ...
Media Removed
Mãos que se encontram e se apoiam na construção da vida Trabalhando a terra, transformando o barro Mãos calejadas que acalentam os filhos, os sonhos Mãos unidas da mocidade até sempre, entrelaçadas, decididas a fazerem juntas o caminho até a eternidade Mãos, sulcos de amor e abnegação! Texto: ... Mãos que se encontram e se apoiam na construção da vida
Trabalhando a terra, transformando o barro
Mãos calejadas que acalentam os filhos, os sonhos
Mãos unidas da mocidade até sempre, entrelaçadas, decididas a fazerem juntas o caminho até a eternidade
Mãos, sulcos de amor e abnegação!
Texto: Regina Lino
Hands that find and rely on the construction of life
Working the earth, transforming the clay
Cally hands, cherishing children, dreams
Hands clasped together forever, intertwined, determined to make the journey together to eternity
Hands, furrows of love and self-denial!
Text: Regina Lino #quilombolas #maos #hands #ricardostuckert
Read more
Loading...
O olhar marcado pela luta. Resistência sempre foi a palavra de ordem de quem nasce em um comunidade ...
Media Removed
O olhar marcado pela luta. Resistência sempre foi a palavra de ordem de quem nasce em um comunidade quilombola como seu Salustriano. Aos 91 anos, ele é o retrato da memória viva do seu povo. História marcada pela esperança mesmo nos momentos mais difíceis. Seu Salustriano nasceu na comunidade ... O olhar marcado pela luta. Resistência sempre foi a palavra de ordem de quem nasce em um comunidade quilombola como seu Salustriano. Aos 91 anos, ele é o retrato da memória viva do seu povo. História marcada pela esperança mesmo nos momentos mais difíceis.
Seu Salustriano nasceu na comunidade Kalunga, em Cavalcante (GO), o maior território remanescente quilombola do país.
Até o início da década de 80, muitos moradores daqui ainda duvidavam do fim da escravidão. Eles tinham medo de dizerem que eram quilombolas e de terem que voltar a trabalhar como escravos.
Com o tempo, o medo foi passando e hoje 8 mil quilombolas vivem na região.
A origem da comunidade aconteceu há mais de 200 anos, quando seus ancestrais fugiram da escravidão na época do ciclo do ouro e da garimpagem na região.

The look marked by the struggle. Resistance has always been the watchword of those born in a quilombola community as their Salanderano. At 91, he is the portrait of the living memory of his people. History marked by hope even in the most difficult moments.
His Salustriano was born in the community Kalunga, in Cavalcante (GO), the largest remaining quilombola territory of the country.
Until the early 1980s, many residents here still doubted the end of slavery. They were afraid to say they were quilombolas and to have to return to work as slaves.
Over time the fear was passing and today 8 thousand people live in the quilombo Engenho II.
The origin of the community happened more than 200 years ago, when their ancestors fled of the slavery at the time of the gold cycle and the garimpagem in the region. #quilombolas #kalunga #cavalcante #goias #brasil #brazil #retrato #portrait #ricardostuckert
Read more
O portal MSN do Reino Unido publicou uma série de fotos do livro ÍNDIOS BRASILEIROS. A matéria traz ...
Media Removed
O portal MSN do Reino Unido publicou uma série de fotos do livro ÍNDIOS BRASILEIROS. A matéria traz um slideshow com vários imagens que serão publicadas no livro. A matéria está disponível no link abaixo. https://www.msn.com/en-gb/travel/culture/photographer-captures-brazilian-tribes-in-stunning-photos/ss-BBH18PI?ocid=spartanntp #image=1 The ... O portal MSN do Reino Unido publicou uma série de fotos do livro ÍNDIOS BRASILEIROS. A matéria traz um slideshow com vários imagens que serão publicadas no livro.
A matéria está disponível no link abaixo.
https://www.msn.com/en-gb/travel/culture/photographer-captures-brazilian-tribes-in-stunning-photos/ss-BBH18PI?ocid=spartanntp #image=1

The MSN portal of the United Kingdom published a series of photos of the book BRAZILIAN INDIANS. The story features a slideshow with several images that will be published in the book.
The article is available at the link below.
https://www.msn.com/en-gb/travel/culture/photographer-captures-brazilian-tribes-in-stunning-photos/ss-BBH18PI?ocid=spartanntp #image=1 #projetoindiosbrasileiros #indiosbrasileiros #indigenouspeople #brasil #brazil #msn #ricardostuckert
Read more
No dia 9 de agosto é comemorado o Dia Internacional dos Povos Indígenas. A data foi estabelecida ...
Media Removed
No dia 9 de agosto é comemorado o Dia Internacional dos Povos Indígenas. A data foi estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 1995. #diainternacionaldospovosindígenas #indigenousday #kalapalo #xingu #matogrosso #brasil #brazil #ricardostuckert No dia 9 de agosto é comemorado o Dia Internacional dos Povos Indígenas. A data foi estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 1995. #diainternacionaldospovosindígenas #indigenousday #kalapalo #xingu #matogrosso #brasil #brazil #ricardostuckert
Seu Salustriano, 91 anos, e dona Maria, companheiros de uma vida. Vivem em Cavalcante (GO). Estão ...
Media Removed
Seu Salustriano, 91 anos, e dona Maria, companheiros de uma vida. Vivem em Cavalcante (GO). Estão há muito tempo juntos e têm dois filhos. Todos os dias sentam na frente da casa onde vivem sem pressa de ver a vida passar. Salustriano, 91 years old, and Dona Maria, companions of a life. They ... Seu Salustriano, 91 anos, e dona Maria, companheiros de uma vida. Vivem em Cavalcante (GO). Estão há muito tempo juntos e têm dois filhos. Todos os dias sentam na frente da casa onde vivem sem pressa de ver a vida passar.

Salustriano, 91 years old, and Dona Maria, companions of a life. They live in Cavalcante (GO).
They have been together for a long time and have two children. Every day they sit in front of the house where they live unhurriedly to watch life go by. #ricardostuckert #cavalcante #goias #brasil #brazil
Read more
Loading...
A história de muitas mulheres é marcada pela luta. A cearense Maria de Nazaré Antero sabe exatamente ...
Media Removed
A história de muitas mulheres é marcada pela luta. A cearense Maria de Nazaré Antero sabe exatamente os preconceitos e dificuldades que muitas mulheres enfrentam. Para mudar esta realidade, desde os 15 anos, Maria Nazaré atua em diversos movimentos feministas. "Eu fui uma pessoa muito ... A história de muitas mulheres é marcada pela luta. A cearense Maria de Nazaré Antero sabe exatamente os preconceitos e dificuldades que muitas mulheres enfrentam.
Para mudar esta realidade, desde os 15 anos, Maria Nazaré atua em diversos movimentos feministas.
"Eu fui uma pessoa muito reprimida pelo meu pai. Não podia nem estudar. Consegui fazer faculdade depois de muita luta. Tive que estudar escondida. A luta das mulheres é universal. Nós somos cerceadas o tempo todo. Por isso, a nossa luta é constante.
Ao logo da minha vida, participei de vários movimentos feministas.
Meu sonho é que as mulheres tenham direitos iguais, que possam ser valorizadas, que possam, politicamente, ocupar cargos em defesa de todos os brasileiros e, em especial, das mulheres". The story of many women is marked by struggle. Maria de Nazaré Antero from Ceará knows exactly the preconceptions and difficulties that many women face. And it is to change this reality that from the age of 15 Maria Nazaré acts in diverse feminist movements.
"I was a very suppressed person for my father, I could not even study, I was able to go to college after a lot of fighting, I had to study hidden, women's struggle is universal, we are curtailed by our rights and that is why our struggle is constant .
At the beginning of my life, I participated in several feminist movements.
My dream is that women have equal rights, that we can be valued, that we can politically occupy positions in defense of all Brazilians, and especially women. " #mulheres #retrato #women #portrait #brasil #ricardostuckert
Read more
@fernandohaddadoficial #FernandoHaddad #retrato #portrait #ricardostuckert
Media Removed
@fernandohaddadoficial #FernandoHaddad #retrato #portrait #ricardostuckert @fernandohaddadoficial #FernandoHaddad #retrato #portrait #ricardostuckert
Chico César, cantor e compositor paraibano. Além da carreira, Chico cuida de outro projeto, o ...
Media Removed
Chico César, cantor e compositor paraibano. Além da carreira, Chico cuida de outro projeto, o Instituto Cultural Casa do Béradêro, na sua cidade-natal, Catolé do Rocha, sertão da Paraíba. É uma escola de artes para jovens e crianças carentes, com uma proposta diferente. O objetivo é ajudar ... Chico César, cantor e compositor paraibano.
Além da carreira, Chico cuida de outro projeto, o Instituto Cultural Casa do Béradêro, na sua cidade-natal, Catolé do Rocha, sertão da Paraíba. É uma escola de artes para jovens e crianças carentes, com uma proposta diferente. O objetivo é ajudar na formação desses jovens por meio de atividades ligadas à cultura e educação, além de investir na qualificação profissional.
Criada em 2001 pelo cantor e compositor e sua primeira professora de música, a freira Iracy Barboza, a Casa do Béradêro já atendeu quase 2 mil crianças, adolescentes e jovens do sertão paraibano, e se tornou referência por oferecer em Catolé do Rocha o primeiro curso gratuito de formação musical, ensinando teoria e prática nos seguintes instrumentos musicais: flauta, contrabaixo, violão, viola, violoncelo e violino.

Chico César, singer and composer from Paraíba.
Besides his career, Chico takes care of another project, the Casa do Béradêro Cultural Institute, in his hometown, Catolé do Rocha, in the sertão of Paraíba. It is an arts school for young and needy children, with a different proposal. The objective is to help in the training of these young people through activities related to culture and education, as well as investing in professional qualification.
Created in 2001 by the singer and composer and its first music teacher, the nun Iracy Barboza, Casa do Béradêro has already attended almost 2 thousand children, adolescents and young people from the Sertão Paraibano, and became a reference for offering in Catolé do Rocha the first course free music training, teaching theory and practice in the following musical instruments: flute, double bass, guitar, viola, cello and violin. #chicocesar #retrato #portrait #ricardostuckert @oficialchicocesar
Read more
Loading...
 #FestivalLulaLivre #ricardostuckert
Media Removed
#FestivalLulaLivre #ricardostuckert #FestivalLulaLivre #ricardostuckert
Akuku Kamayurá mergulha na cachoeira Santa Bárbara. Chapada dos Veadeiros, estado de Goiás. Akuku ...
Media Removed
Akuku Kamayurá mergulha na cachoeira Santa Bárbara. Chapada dos Veadeiros, estado de Goiás. Akuku Kamayurá dives into the Santa Bárbara waterfall. Chapada dos Veadeiros, state of Goiás, Brazil. #projetoindiosbrasileiros #indiosbrasileiros #santabarbara #chapadadosveadeiros ... Akuku Kamayurá mergulha na cachoeira Santa Bárbara. Chapada dos Veadeiros, estado de Goiás.
Akuku Kamayurá dives into the Santa Bárbara waterfall. Chapada dos Veadeiros, state of Goiás, Brazil. #projetoindiosbrasileiros #indiosbrasileiros #santabarbara #chapadadosveadeiros #kamayura #goias #brasil #brazil #ricardostuckert
Read more
A fotografia sempre me leva a conhecer lugares incríveis. Nesses 31 anos de profissão, já me deparei ...
Media Removed
A fotografia sempre me leva a conhecer lugares incríveis. Nesses 31 anos de profissão, já me deparei com tantas imagens de pessoas, de lugares...e quando vejo uma imagem assim da nossa natureza intocada, forte, firme, penso que realmente nosso país é único e de uma beleza singular. Nesta ... A fotografia sempre me leva a conhecer lugares incríveis. Nesses 31 anos de profissão, já me deparei com tantas imagens de pessoas, de lugares...e quando vejo uma imagem assim da nossa natureza intocada, forte, firme, penso que realmente nosso país é único e de uma beleza singular.
Nesta foto está a cachoeira Amécegas I na Chapada dos Veadeiros.

Photography always leads me to meet incredible places. In these 31 years of profession, I have come across so many images of people, places ... and when I see such an image of our pristine nature, strong, firm, I think that our country is really unique and of singular beauty.
In this photo is Amécegas I waterfall in the Chapada dos Veadeiros. #chapadadosveadeiros #almecegas1 #cachoeira #waterfall #brasil #brazil #ricardostuckert
Read more
Loading...
Índios Kamayurá tocam a flauta Takuara no Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros. ...
Media Removed
Índios Kamayurá tocam a flauta Takuara no Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros. Kamayurá Indians in the Meeting of Traditional Cultures of Chapada dos Veadeiros, state of Goiás. #encontrodeculturas #chapadadosveadeiros #projetoindiosbrasileiros #indiosbrasileiros ... Índios Kamayurá tocam a flauta Takuara no Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros.
Kamayurá Indians in the Meeting of Traditional Cultures of Chapada dos Veadeiros, state of Goiás. #encontrodeculturas #chapadadosveadeiros #projetoindiosbrasileiros #indiosbrasileiros #kamayura #brasil #brazil #ricardostuckert @aldeiamultietnica
Read more
Índios Krahô no Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros. O evento ocorre todos ...
Media Removed
Índios Krahô no Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros. O evento ocorre todos os anos e reúne diversas manifestações culturais do Brasil. Krahô Indians in the Meeting of Traditional Cultures of Chapada dos Veadeiros, state of Goiás. The event takes place every ... Índios Krahô no Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros.
O evento ocorre todos os anos e reúne diversas manifestações culturais do Brasil.
Krahô Indians in the Meeting of Traditional Cultures of Chapada dos Veadeiros, state of Goiás.
The event takes place every year and brings together various cultural events in Brazil. #encontrodeculturas #chapadadosveadeiros #projetoindiosbrasileiros #indiosbrasileiros #kraho #brasil #brazil #ricardostuckert
Read more
A luta e as sombras. Índios Kamayurá no Encontro de Culturas na Chapada dos Veadeiros. The fight ...
Media Removed
A luta e as sombras. Índios Kamayurá no Encontro de Culturas na Chapada dos Veadeiros. The fight and the shadows. Kamayurá Indians in the Meeting of Cultures in Chapada dos Veadeiros. #encontrodeculturas #chapadadosveadeiros #drone #projetoindiosbrasileiros #indiosbrasileiros ... A luta e as sombras.
Índios Kamayurá no Encontro de Culturas na Chapada dos Veadeiros.
The fight and the shadows.
Kamayurá Indians in the Meeting of Cultures in Chapada dos Veadeiros. #encontrodeculturas #chapadadosveadeiros #drone #projetoindiosbrasileiros #indiosbrasileiros #kamayura #ricardostuckert
Read more
 #Cuba #Havana #ricardostuckert
Media Removed
#Cuba #Havana #ricardostuckert #Cuba #Havana #ricardostuckert
 #Havana #Cuba #ricardostuckert
Media Removed
#Havana #Cuba #ricardostuckert #Havana #Cuba #ricardostuckert
Retratos de Cuba. Portraits of Cuba. #cuba #portrait #ricardostuckert
Media Removed
Retratos de Cuba. Portraits of Cuba. #cuba #portrait #ricardostuckert Retratos de Cuba.
Portraits of Cuba. #cuba #portrait #ricardostuckert
 #Havana #Cuba #ricardostuckert
Media Removed
#Havana #Cuba #ricardostuckert #Havana #Cuba #ricardostuckert
 #Havana #Cuba #ricardostuckert
Media Removed
#Havana #Cuba #ricardostuckert #Havana #Cuba #ricardostuckert
Retratos de Cuba. Portraits of Cuba. #cuba #havana #portrait #ricardostuckert
Media Removed
Retratos de Cuba. Portraits of Cuba. #cuba #havana #portrait #ricardostuckert Retratos de Cuba.
Portraits of Cuba. #cuba #havana #portrait #ricardostuckert
Noite cubana. Cuban night. #havana #cuba #ricardostuckert
Media Removed
Noite cubana. Cuban night. #havana #cuba #ricardostuckert Noite cubana.
Cuban night. #havana #cuba #ricardostuckert
Pelas ruas de Havana. Walking through the streets of Havana. #havana #cuba #ricardostuckert
Media Removed
Pelas ruas de Havana. Walking through the streets of Havana. #havana #cuba #ricardostuckert Pelas ruas de Havana.
Walking through the streets of Havana. #havana #cuba #ricardostuckert
Retratos de Cuba. Portraits of Cuba. #cuba #havana #portrait #ricardostuckert
Media Removed
Retratos de Cuba. Portraits of Cuba. #cuba #havana #portrait #ricardostuckert Retratos de Cuba.
Portraits of Cuba. #cuba #havana #portrait #ricardostuckert
Por do sol no Amapá. Sunset in the state of Amapá, Brazil. #pordosol #sunset #amapa #brasil #brazil ...
Media Removed
Por do sol no Amapá. Sunset in the state of Amapá, Brazil. #pordosol #sunset #amapa #brasil #brazil #ricardostuckert Por do sol no Amapá.
Sunset in the state of Amapá, Brazil. #pordosol #sunset #amapa #brasil #brazil #ricardostuckert
Japira Pataxó na Reserva da Jaqueira, no sul da Bahia. A Reserva da Jaqueira, onde vive parte dos ...
Media Removed
Japira Pataxó na Reserva da Jaqueira, no sul da Bahia. A Reserva da Jaqueira, onde vive parte dos Pataxó, foi fundada em 1998, após a demarcação e homologação como terra indígena em 1997. O lugar é sagrado para o povo Pataxó. Está na história de cada um deles sobreviver. Desde os tempos da ... Japira Pataxó na Reserva da Jaqueira, no sul da Bahia.
A Reserva da Jaqueira, onde vive parte dos Pataxó, foi fundada em 1998, após a demarcação e homologação como terra indígena em 1997. O lugar é sagrado para o povo Pataxó. Está na história de cada um deles sobreviver.
Desde os tempos da invasão portuguesa, por volta de 1500, os Pataxó lutam para preservar sua história e cultura.
No passado, foram proibidos de falar a própria língua. Sofreram humilhações e preconceitos. A floresta foi desmatada.
Mas nunca desistiram de lutar por aquilo que acreditam.

Japira Pataxó in the Reserva da Jaqueira, state of Bahia, Brazil. #projetoindiosbrasileiros #indiosbrasileiros #pataxo #bahia #brasil #brazil #ricardostuckert
Read more
Pescadores na Praia do Forte, Bahia. Fishermen in Praia do Forte, state of Bahia, Brazil. #praiadoforte ...
Media Removed
Pescadores na Praia do Forte, Bahia. Fishermen in Praia do Forte, state of Bahia, Brazil. #praiadoforte #bahia #brasil #brazil #ricardostuckert Pescadores na Praia do Forte, Bahia.
Fishermen in Praia do Forte, state of Bahia, Brazil. #praiadoforte #bahia #brasil #brazil #ricardostuckert
Pescadores na Praia do Forte, Bahia. Fishermen in Praia do Forte, state of Bahia, Brazil. #praiadoforte ...
Media Removed
Pescadores na Praia do Forte, Bahia. Fishermen in Praia do Forte, state of Bahia, Brazil. #praiadoforte #bahia #brasil #brazil #ricardostuckert Pescadores na Praia do Forte, Bahia.
Fishermen in Praia do Forte, state of Bahia, Brazil. #praiadoforte #bahia #brasil #brazil #ricardostuckert
Índio Pataxó no sul da Bahia. Pataxó Indian in the state of Bahia, Brazil. #projetoindiosbrasileiros ...
Media Removed
Índio Pataxó no sul da Bahia. Pataxó Indian in the state of Bahia, Brazil. #projetoindiosbrasileiros #indiosbrasileiros #pataxo #bahia #brasil #brazil #ricardostuckert Índio Pataxó no sul da Bahia.
Pataxó Indian in the state of Bahia, Brazil. #projetoindiosbrasileiros #indiosbrasileiros #pataxo #bahia #brasil #brazil #ricardostuckert
Foto do livro Índios Brasileiros na capa da revista alemã América Latina. #ricardostuckert
Media Removed
Foto do livro Índios Brasileiros na capa da revista alemã América Latina. #ricardostuckert Foto do livro Índios Brasileiros na capa da revista alemã América Latina. #ricardostuckert
Irmã Cleide tem 73 anos. Nasceu no Rio Grande do Norte e depois mudou-se para a Paraíba. Seu pai era ...
Media Removed
Irmã Cleide tem 73 anos. Nasceu no Rio Grande do Norte e depois mudou-se para a Paraíba. Seu pai era agricultor e a mãe professora em uma escola isolada na Paraíba. A família viveu em condições financeiras difíceis. Nada que abatesse Irmã Cleide, a filha mais velha de cinco irmãos. Desde menina, ... Irmã Cleide tem 73 anos. Nasceu no Rio Grande do Norte e depois mudou-se para a Paraíba.
Seu pai era agricultor e a mãe professora em uma escola isolada na Paraíba. A família viveu em condições financeiras difíceis. Nada que abatesse Irmã Cleide, a filha mais velha de cinco irmãos. Desde menina, tinha fascínio pelos livros. Tinha o sonho de aprender a ler e escrever.
“Minha mãe ensinava as outras crianças e eu fui aprendendo só de vê-la. A escola era de chão batido.
Meu sonho era fazer uma faculdade e eu consegui me formar em duas. Me formei em Biologia, aos 23 anos, e depois em Direito, aos 33.
Quis ser advogada para servir aos pobres. Dom Fragoso então me chamou para trabalhar na Diocese de Crateús e la me engajei no trabalho da Comissão Pastoral da Terra.
Como advogada, eu ajudava os trabalhadores a compreender os direitos de posse da terra” - Irmã Cleide.
Irmã Cleide luta há mais de 30 anos pela reforma agrária no país.
Sister Cleide is 73 years old. She was born in Rio Grande do Norte and then moved to Paraíba.
Her father was a farmer and her mother was a teacher at an isolated school in Paraíba. The family lived in difficult financial conditions. Nothing to take down Sister Cleide, the oldest daughter of five brothers. As a child, she had a fascination with books. She had the dream of learning to read and write.
"My mother taught the other children and I learned only to see her. The school was beaten.
My dream was to do a college and I was able to graduate in two. I graduated in Biology, at age 23, and then in Law at age 33.
She wanted to be a lawyer to serve the poor. Bishop Fragoso then called me to work in the Diocese of Crateús and I engaged him in the work of the Pastoral Land Commission.
As a lawyer, I helped the workers understand the land tenure rights. "- Sister Cleide.
Sister Cleide has been struggling for over 30 years for agrarian reform in the country. #retrato #portrait #brasil #brazil #ricardostuckert
Read more
A aldeia do cacique Álvaro Tukano fica na Terra Indígena Balaio, no extremo norte do país, na fronteira ...
Media Removed
A aldeia do cacique Álvaro Tukano fica na Terra Indígena Balaio, no extremo norte do país, na fronteira com a Colômbia. Na década de 80, ele saiu da aldeia e veio para Brasília estudar. “Meu lugar é na floresta, mas estou aqui para sensibilizar as autoridades do Brasil. A situação dos povos ... A aldeia do cacique Álvaro Tukano fica na Terra Indígena Balaio, no extremo norte do país, na fronteira com a Colômbia. Na década de 80, ele saiu da aldeia e veio para Brasília estudar. “Meu lugar é na floresta, mas estou aqui para sensibilizar as autoridades do Brasil. A situação dos povos indígenas hoje é alarmante. Não respeitam os índios, nos agridem e agridem a natureza. Exploram nossas terras e deixam nosso povo cada vez mais miserável. Não valorizam as nossas tradições milenares.
Os índios preservam os recursos naturais, a floresta, as plantas medicinais. Nós cuidamos da nossa floresta com tantas riquezas. Nós preservamos a natureza para todos nós, para o Brasil, para o mundo. Por isso, somos tão importantes para o equilíbrio ambiental” - Álvaro Tukano
The village of Álvaro Tukano is in the Balaio Indigenous Land, in the extreme north of the country, on the border with Colombia.
In the 80's, he came to Brasília to study.
"My place is in the forest, but I'm here to sensitize the Brazilian authorities. The situation of indigenous people in Brazil today is alarming. They don’t respect the Indians, they attack us and they attack nature. They explore our lands and make our people increasingly miserable. They don’t value our millennial traditions.
The Indians preserve the natural resources, the forest, the medicinal plants. We take care of our forest with so much wealth. We preserve nature for all of us, for Brazil, for the world. That is why we are so important for environmental balance "- Álvaro Tukano #projetoindiosbrasileiros #indiosbrasileiros #tukano #brasil #brazil #ricardostuckert
Read more
Conheci Pepe Mujica em 2003. É uma daquelas pessoas que marcam vc pela simplicidade, convicções, ...
Media Removed
Conheci Pepe Mujica em 2003. É uma daquelas pessoas que marcam vc pela simplicidade, convicções, pela forma como vive a vida. As lições que Mujica ensina vão muito além da política. Mujica passou 14 na prisão e em sua maioria na solitária. Durante o período do cárcere, sofreu torturas e severas ... Conheci Pepe Mujica em 2003. É uma daquelas pessoas que marcam vc pela simplicidade, convicções, pela forma como vive a vida. As lições que Mujica ensina vão muito além da política.
Mujica passou 14 na prisão e em sua maioria na solitária. Durante o período do cárcere, sofreu torturas e severas privações.
Libertado após 14 anos de prisão, voltou à vida política e ocupou os cargos de ministro e de senador antes de se tornar presidente. Foi durante seu governo que colocou o Uruguai no mapa como uma das nações mais progressistas do mundo.
Mujica vive com simplicidade. Quando era presidente, não quis morar no Palácio Presidencial. Ele vive até hoje em uma casa de apenas um quarto na fazenda de sua esposa e dirige um fusca de 1978.
Doa mais de 90% de seu salário de 12 mil dólares à caridade – o que o coloca no mesmo patamar de renda de um cidadão uruguaio comum.

I met Pepe Mujica in 2003. He is one of those people who mark you for simplicity, convictions, the way you live life. The lessons that Mujica teaches go far beyond politics. needed more. Not only in politics, but in life. Mujica spent 14 years in prison and mostly in solitary confinement. During the period of the prison, he suffered torture and severe deprivation. Released after 13 years in prison, he returned to political life and held the positions of minister and senator before becoming president. It was during his rule that he placed Uruguay on the map as one of the most progressive nations in the world. He lives simply and rejects the benefits of the presidency. When he was president, he refused to live in the Presidential Palace or to have a "motor cortege." He lives in a one-bedroom house on his wife's farm and drives a 1978 fusca. From more than 90% of his $ 12,000 salary to charity - which puts him at the same income level as a typical Uruguayan citizen. #PepeMujica #ricardostuckert
Read more
Índios fazem protesto em Brasília por cotas em universidades. #ricardostuckert #brasilia #brasil ...
Media Removed
Índios fazem protesto em Brasília por cotas em universidades. #ricardostuckert #brasilia #brasil #brazil Índios fazem protesto em Brasília por cotas em universidades. #ricardostuckert #brasilia #brasil #brazil
Vai, Brasil 🇧🇷 #copa2018 #ricardostuckert
Media Removed
Vai, Brasil 🇧🇷 #copa2018 #ricardostuckert Vai, Brasil 🇧🇷 #copa2018 #ricardostuckert
Zezinho Kaxinawá é Assessor Especial de Assuntos Indígenas do Governo do Estado do Acre. É filho ...
Media Removed
Zezinho Kaxinawá é Assessor Especial de Assuntos Indígenas do Governo do Estado do Acre. É filho de Joaquim Maná, que, após anos de trabalho em defesa de sua cultura, acaba de concluir mestrado em linguística e já está inscrito em um doutorado na Universidade de Brasília (UnB). Zezinho é ... Zezinho Kaxinawá é Assessor Especial de Assuntos Indígenas do Governo do Estado do Acre. É filho de Joaquim Maná, que, após anos de trabalho em defesa de sua cultura, acaba de concluir mestrado em linguística e já está inscrito em um doutorado na Universidade de Brasília (UnB). Zezinho é um dos defensores da cultura Kaxinawá. Nas últimas décadas, conseguiu a implantação de escolas bilíngues nas aldeias.
Atualmente, os Kaxinawá desenvolvem projetos de manejo como forma de sustentar as riquezas de seu território.
Zezinho assumiu a primeira responsabilidade junto ao seu povo muito cedo, aos 16 anos, como professor da aldeia. Hoje, aos 35, defende os interesses dos povos indígenas do Acre.
Zezinho também é cineasta. Em 2005, começou o ofício pelo “Vídeo nas Aldeias”, uma ONG sediada em Olinda (PE) para registrar os costumes e tradições do seu povo.
“Eu achei que o meu povo estava perdendo a sua identidade, que é ter a nossa cultura, a nossa forma de viver, a nossa forma de vestir, nosso jeito de lidar com a questão espiritual, com as festas, com as plantas... Hoje, o mundo envolvente é muito maior do que o nosso povo, ele vai pressionando e a gente tem que ser muito mais forte. Então comecei, por meio do audiovisual, a trabalhar na revitalização cultural do meu povo, falar para o meu povo da importância da gente preservar os nossos desenhos, continuar passando o conhecimento dos mais velhos para os mais jovens” – Zezinho Kaxinawá

Zezinho Kaxinawá is Special Adviser on Indigenous Issues of the State Government of Acre. He is the son of Joaquim Maná, who, after years of work in defense of his culture, has just completed a master's degree in linguistics and is already enrolled in a doctorate at the University of Brasília (UnB).
Zezinho is one of the defenders of the Kaxinawá culture. In the last decades, it managed the implantation of bilingual schools in the villages. Today, the Kaxinawá develop management projects as a way of sustaining the riches of their territory.
Zezinho assumed the first responsibility with his people very early, at the age of 16, as teacher of the village. #indiosbrasileiros #projetoindiosbrasileiros #kaxinawa #ricardostuckert
Read more
Parabéns ao estado do Acre que hoje completa 56 anos. A população do estado é composta por vários ...
Media Removed
Parabéns ao estado do Acre que hoje completa 56 anos. A população do estado é composta por vários imigrantes, entre eles nordestinos e sulistas. Sua população indígena totaliza hoje quase 15 mil pessoas. O Acre tem um reconhecimento internacional na aplicação de políticas públicas ... Parabéns ao estado do Acre que hoje completa 56 anos.
A população do estado é composta por vários imigrantes, entre eles nordestinos e sulistas. Sua população indígena totaliza hoje quase 15 mil pessoas.
O Acre tem um reconhecimento internacional na aplicação de políticas públicas voltadas para o desenvolvimento sustentável, com uma economia de baixo carbono, redução de desmatamento e proteção dos povos indígenas.
#acre #brasil #ricardostuckert
Read more
Nesta semana em que é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente, compartilho esta imagem que fiz ...
Media Removed
Nesta semana em que é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente, compartilho esta imagem que fiz do índio Lenoir Tibiriça da etnia Xucuru-Kariri. A foto representa exatamente o sentimento de amor e de proteção que os índios têm em relação à natureza. Eles são os guardiões da floresta. Têm ... Nesta semana em que é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente, compartilho esta imagem que fiz do índio Lenoir Tibiriça da etnia Xucuru-Kariri.
A foto representa exatamente o sentimento de amor e de proteção que os índios têm em relação à natureza. Eles são os guardiões da floresta. Têm um respeito profundo pela mãe terra. Sabem que todos nós respiramos o mesmo ar, bebemos a mesma água e vivemos em um só planeta. É nossa função protegê-lo, cuidar de tudo aqui para que nossos filhos, nossos netos possam sobreviver.
Temos muito que aprender com os índios.
This week in which World Environment Day is celebrated, I share this image I made of the Indian Lenoir Tibiriça of the Xucuru-Kariri ethnic group. The photo represents exactly the feeling of love and protection that the Indians have in relation to nature. They are the guardians of the forest. They have a deep respect for Mother Earth. They know that we all breathe the same air, drink the same water, and live on one planet. It is our job to protect you, to take care of everything here so that our children, our grandchildren can survive.
We have much to learn from the Indians. #WorldEnvironmentDay #indigenouspeople #indiosbrasileiros #xucurukariri #ricardostuckert
Read more
Índios Pataxó no sul da Bahia. Pataxó Indians in the state of Bahia, Brazil. #projetoindiosbrasileiros #indiosbrasileiros #brazilianindians #pataxo #bahia #brasil #brazil #ricardostuckert Índios Pataxó no sul da Bahia.
Pataxó Indians in the state of Bahia, Brazil. #projetoindiosbrasileiros #indiosbrasileiros #brazilianindians #pataxo #bahia #brasil #brazil #ricardostuckert
Uara ao lado das índias Kysē e Penva. Uara é da etnia Caingangue. Seu nome significa um rio descendo, ...
Media Removed
Uara ao lado das índias Kysē e Penva. Uara é da etnia Caingangue. Seu nome significa um rio descendo, ou seja, em constante transformação. Nasceu e se criou na Terra Indígena do Nonoái, no Rio Grande do Sul. Está com 61 anos, tem 8 filhos, 12 netos e uma bisneta. Uara luta para manter viva a ... Uara ao lado das índias Kysē e Penva.
Uara é da etnia Caingangue. Seu nome significa um rio descendo, ou seja, em constante transformação. Nasceu e se criou na Terra Indígena do Nonoái, no Rio Grande do Sul.
Está com 61 anos, tem 8 filhos, 12 netos e uma bisneta.
Uara luta para manter viva a cultura dos Caingangue. “Nós lutamos pela preservação da nossa cultura e dos nossos costumes.
Estamos aqui para proteger nossa terra que é muito importante para a nossa sobrevivência. Precisamos de apoio, segurança e dos meios para protegê-la.
Nossa luta é constante.” - Uara Caingangue
Uara Caingangue, Penva and Kysē in the South of Brazil. #caingangue #brasil #brazil #ricardostuckert
Read more
Danny Glover é um ator e ativista norte-americano. É embaixador da ONU para os Direitos Humanos ...
Media Removed
Danny Glover é um ator e ativista norte-americano. É embaixador da ONU para os Direitos Humanos e Assuntos Raciais. Nasceu em 1946, filho de funcionários dos Correios, em São Francisco, Califórnia. Ali foi criado e estudou. Na Universidade Estadual de São Francisco, participou da maior ... Danny Glover é um ator e ativista norte-americano. É embaixador da ONU para os Direitos Humanos e Assuntos Raciais.
Nasceu em 1946, filho de funcionários dos Correios, em São Francisco, Califórnia. Ali foi criado e estudou. Na Universidade Estadual de São Francisco, participou da maior greve estudantil da instituição que começou em novembro de 1968. Dois grupos estudantis a organizaram: a União dos Estudantes Negros, que Glover fazia parte, e a Frente de Libertação do Terceiro Mundo. Suas demandas: que aquela universidade pública onde estudavam expandisse as ações do “Black Studies Department” (Departamento de Estudos sobre o Negro, em tradução literal) e criasse uma Escola de Estudos Étnicos. Foram cinco meses até a reitoria decidir atender às demandas, e a greve chegar ao fim. A “School of Ethnic Studies” da Universidade Estadual de São Francisco foi a primeira do gênero em seu país.
Glover viveu em uma casa coletiva por um ano, engajou-se nos movimentos contrários à Guerra do Vietnã, outros de luta contra a política colonialista e racista aplicada à África e também de um grupo que lutava pela equanimidade no acesso à educação.
“Eu tento achar esperança em lutas e resistências, não importa onde estejam ocorrendo” - Danny Glover

Danny Glover is an American actor and activist. He is the UN ambassador for Human Rights and Racial Affairs.
He was born in 1946, the son of one post office staff in San Francisco, California. There he was raised and studied. At the State University of San Francisco, he participated in the largest student strike of the institution.
It began in November 1968. Two student groups organized it: Glover's Black Student Union, and the Third World Liberation Front. Their demands: that the public university where they studied would expand the actions of the Black Studies Department and create a School of Ethnic Studies. It was five months before the president decided to meet the demands, and the strike came to an end. The School of Ethnic Studies at San Francisco State University was the first of its kind its country.
He lived in a collective house for a year, engaged in movements contrary to the Vietnam War. #dannyglover #ricardostuckert
Read more
Malvina Joana de Lima é carioca e tem 66 anos. A mãe trabalhava em uma casa de família quando engravidou. ...
Media Removed
Malvina Joana de Lima é carioca e tem 66 anos. A mãe trabalhava em uma casa de família quando engravidou. A mãe deixou ela em um orfanato logo quando nasceu. Quando o pai descobriu, foi até o local atrás da filha que estava com 2 meses. Malvina foi criada pelo pai até os 16 anos. Depois, começou ... Malvina Joana de Lima é carioca e tem 66 anos. A mãe trabalhava em uma casa de família quando engravidou. A mãe deixou ela em um orfanato logo quando nasceu.
Quando o pai descobriu, foi até o local atrás da filha que estava com 2 meses.
Malvina foi criada pelo pai até os 16 anos. Depois, começou a trabalhar em casas de família. Aos 27 anos, mudou-se para São Paulo e foi trabalhar em fábricas da região.
Fez um supletivo e começou a se dedicar aos estudos. Malvina queria um emprego estável e decidiu se dedicar para conquistar seu sonho. Depois de algum tempo de estudo, foi aprovada no concurso público da Prefeitura de São Paulo. Hoje está aposentada.
“Tem muito preconceito com os mais pobres. As pessoas só precisam de uma chance. A educação é o caminho, abre portas. O apoio da família e dos amigos também é muito importante” - Malvina Joana.
Malvina Joana de Lima is from Rio de Janeiro. She is 66 years old. Her mother worked in a family home when she became pregnant, and left her in an orphanage when she was born.
When the father found out, he went to search for his daughter, who was 2 months old.
Malvina was raised by her father until she was 16, when she started working in family homes. At age 27, she moved to São Paulo and went to work in factories in the region.
She entered a grade and high school equivalency program and began to study. Malvina wanted a stable job and decided to dedicate herself to conquer her dream. After some time of study, she got a government job in the city of São Paulo. She's retired today.
"People just need a chance. Education is the way, it opens doors. Support from family and friends is also very important "- Malvina Joana. #ricardostuckert
Read more
Retratos do Brasil Minhas andanças pelo país como fotógrafo já me levaram a todos os Estados brasileiros, ...
Media Removed
Retratos do Brasil Minhas andanças pelo país como fotógrafo já me levaram a todos os Estados brasileiros, capitais, cidades do interior. Tenho tido a chance de conhecer pessoas e histórias de vida que têm me despertado a vontade de compartilhar um pouco dessa realidade que tenho acompanhado. ... Retratos do Brasil
Minhas andanças pelo país como fotógrafo já me levaram a todos os Estados brasileiros, capitais, cidades do interior.
Tenho tido a chance de conhecer pessoas e histórias de vida que têm me despertado a vontade de compartilhar um pouco dessa realidade que tenho acompanhado.
Seja na floresta amazônica, em pequenas cidades ou nos acampamentos, o que mais me chama a atenção é a simplicidade das pessoas e a esperança no olhar de cada uma delas.
Esta foto é o retrato de seu João Lopes. Com 65 anos, ele é de uma família de 6 irmãos. Nasceu em Carlópolis, município do estado do Paraná. É do Movimento Sem Terra há 6 anos. “Nas condições que nós estamos hoje está tudo muito difícil. Acho que temos que continuar lutando pelos nossos direitos e nunca desistir. Tenho esperança que as coisas podem mudar. O melhor do Brasil é o brasileiro que nunca desiste de lutar por dias melhores” - João Lopes.
Portraits of Brazil
My wanderings around the country as a photographer have already taken me to all the Brazilian states, capitals, cities of the countryside. I have had the chance of meeting people and life stories that have awakened me to share some of this reality that I have been following.
Whether in the Amazon rainforest, in small towns or in the camps, what strikes me most is the simplicity of the people and the hope in the eyes of each one of them.
This photo is the portrait of João Lopes. At 65, he is from a family of 6 siblings. He was born in Carlópolis, a municipality in the state of Paraná. He has been with the MST for 6 years.
"In the conditions that we are in today everything is very difficult. I think we have to keep fighting for our rights and not give up. I have to hope that things can change. The best in Brazil is the Brazilian who never gives up fighting for better days "- João Lopes. #brasil #brazil #ricardostuckert
Read more
Joaquim Tashka é líder da tribo dos índios Yawanawá no Acre. É uma das vozes mais ativas na defesa ...
Media Removed
Joaquim Tashka é líder da tribo dos índios Yawanawá no Acre. É uma das vozes mais ativas na defesa dos direitos indígenas no país. Compartilho aqui um texto de autoria do Tashka sobre seu povo. Somos Yawanawa Atualmente somos aproximadamente 1.250 pessoas, sendo a maioria de nossa população ... Joaquim Tashka é líder da tribo dos índios Yawanawá no Acre. É uma das vozes mais ativas na defesa dos direitos indígenas no país.
Compartilho aqui um texto de autoria do Tashka sobre seu povo.

Somos Yawanawa
Atualmente somos aproximadamente 1.250 pessoas, sendo a maioria de nossa população formada por jovens e crianças. Fomos muito numerosos no passado. No entanto, muitos de nossos velhos morreram com o impacto negativo trazido pela colonização. Vivemos em um território de aproximadamente 200 mil hectares de terra e mantemos 95% de nossa biodiversidade intacta.
Nossa missão é manter viva a memória de nosso povo, perpetuar nossos costumes e nossa maneira de viver. Cuidar de nossos territórios sagrados para que o verde da floresta de onde vivemos continue no amanhecer de cada dia.
Joaquim Tashka

Tashka Yawanawá, Chief of the Yawanawá People and Coordinator of Associação Sociocultural Yawanawa. #projetoindiosbrasileiros #indiosbrasileiros #brazilianindians #yawanawá #acre #brasil #brazil #ricardostuckert
Read more

Loading...